Ex-ministro e mais 28 viram réus por prejuízo em fundos

Esteves Colnago vai responder como um dos responsáveis por um prejuízo na gestão dos fundos de pensão Petros, Funcef, Previ e Valia.

Conjuntura / 00:11 - 18 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O ex-ministro do Planejamento do Governo Temer e atual secretário adjunto da Fazenda, Esteves Pedro Colnago Junior, e outras 28 pessoas viraram réus e vão responder a processo por serem apontados pelo Ministério Público Federal (MPF) como responsáveis por um prejuízo na gestão dos fundos de pensão Petros, Funcef, Previ e Valia, conforme decisão do juiz federal Vallisney de Souza Oliveira.

Os procuradores da Força-Tarefa da operação Greenfield acusam o assessor do ministro da Economia, Paulo Guedes, e os demais envolvidos de gestão temerária na aprovação de investimento do Fundo de Investimentos e Participações (FIP) Sondas, veículo de investimentos da empresa Sete Brasil Participações.

Eles cobram, além da condenação dos denunciados, uma reparação econômica e moral recorde das vítimas, no valor de R$ 16 bilhões, o triplo do montante causado em prejuízo aos fundos, de cerca de R$ 5,5 bilhões, segundo informações da agência Reuters.

 “O MPF produziu e apresentou a este Juízo peça acusatória formalmente apta, acompanhada de vasto material probatório, contendo a descrição pormenorizada contra todos os denunciados (então dirigentes, conselheiros e responsáveis pelos investimentos no âmbito da Petros, Funcef, Previ e Valia), como incursos no delito de gestão temerária pela constituição e aportes ao FIP Sondas, entre os anos de 2011 e 2016”, afirmou o juiz Vallisney, na decisão.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor