EUA: bilionários pagaram menos imposto que mais pobres

Em 2018, pela primeira vez na história, os ultra-ricos tiveram taxa efetiva de impostos de 23%, menor que a de 24,2% paga por trabalhadores.

Internacional / 23:39 - 9 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Um novo estudo sobre a carga tributária do ultra-ricos constatou que, em 2018, pela primeira vez na história, os bilionários mais ricos dos Estados Unidos pagaram uma taxa efetiva de imposto mais baixa do que a classe trabalhadora.
A pesquisa, intitulada “O triunfo da injustiça”, dos economistas Emmanuel Saez e Gabriel Zucman, da Universidade da Califórnia em Berkeley, apresenta uma análise inédita das taxas tributárias efetivas dos norte-americanos desde os anos 1960. Constata que em 2018 a taxa média efetiva de impostos paga pelas 400 famílias mais ricas do país era de 23%, um ponto percentual abaixo da taxa de 24,2% paga pela metade inferior das famílias americanas.
Em 1980, por outro lado, os 400 mais ricos tinham uma taxa de imposto efetiva de 47%. Em 1960, sua alíquota era de 56%. A taxa efetiva de imposto paga pelos 50% mais pobres, por outro lado, mudou pouco ao longo do tempo.
A análise difere de muitas outras estimativas publicadas de encargos tributários, abrangendo a totalidade dos impostos que os norte-americanos pagam: não apenas impostos federais sobre a renda, mas também impostos corporativos, bem como impostos pagos nos níveis estadual e local. Também inclui o ônus de cerca de US$ 250 bilhões do que Saez e Zucman chamam de "impostos indiretos", como licenças para veículos automotores e empresas.
Saez e Zucman escrevem que o foco nos ultraricos é necessário, porque essas famílias controlam uma parcela desproporcional da riqueza nacional: as 400 principais famílias têm mais riqueza do que os 60% dos domicílios das camadas mais baixas, enquanto os 0,1% mais ricos possuem tanto quanto os 80% mais pobres.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor