Esquerda continua a reagir com o fígado

Como o cão de Pavlov, oposição - não só no Brasil - reage de forma condicionada.

Fatos e Comentários / 19:56 - 16 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Duas recentes matérias abordam, por diferentes ângulos, as armadilhas em que a esquerda, inconscientemente, se deixa pegar. Em entrevista ao El País desta segunda-feira, o cientista político chileno Cristóbal Rovira Kaltwasser fala que Bolsonaro possa ser reeleito “não por seus méritos, mas porque a oposição segue debilitada”.

Kaltwasser afirma que, com as polêmicas vazias criadas por Bolsonaro – o mesmo vale para Trump – que causam muita irritação, eles conseguem estar constantemente presente nos meios de comunicação. “Além disso, conseguem mobilizar esse sentimento de mal-estar contra a esquerda para se apresentarem como salvadores da pátria. Esta é a mesma estratégia que a direita latino-americana está usando de forma geral. Bolsonaro é apenas uma versão mais extrema disso.”

No artigo “O cão de Pavlov”, no site Cinegnose, o mestre em Comunicação Wilson Roberto Vieira Ferreira fala sobre o médico russo Ivan Pavlov, que descobriu o reflexo condicionado: apenas o som de uma sineta fazia o cão salivar de fome, mesmo sem ter na sua frente um prato de comida.

Diante da repetição de estímulos diários através de bravatas, provocações escatológicas, chulas e autoritárias do governo, a guerra semiótica criptografada tem jogado a esquerda e oposições num labirinto de informações desconexas, transformando-as em um cão de Pavlov pós-moderno que reage de forma reflexa aos estímulos”, compara Wilson Ferreira.

A esquerda “saliva de ódio e reage com o fígado, ficando apenas nas trincheiras da ‘guerra cultural’, enquanto o patrimônio nacional é rapidamente vendido na xepa do mercado. Em sua guerra particular, esqueceu das massas silenciosas, supostamente anestesiadas. Anestesiadas porque não conseguem ver as relações causa-efeito entre a xepa e a sobrevivência cotidiana uberizada”

O cientista político chileno Cristóbal Rovira Kaltwasser tem recomendação nesse sentido: “A esquerda também precisa desenvolver políticas públicas em áreas muito sensíveis como criminalidade e imigração. A direita tem vantagem ao propor soluções simplistas, ainda que muito ruins, e a esquerda precisa apresentar alternativas inteligentes.”

 

Queda de qualidade nas rodovias

Auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) indica que a qualidade das rodovias privatizadas não evoluiu. Foram analisados 21 contratos firmados entre 1994 e 2015. Apesar da insuficiência de dados, foi possível verificar uma tendência de aumento no desgaste do asfalto e de queda na qualidade das rodovias.

Existe também um descompasso entre investimentos realizados e tarifas de pedágio, em prejuízo dos usuários, bem como dúvidas em relação à evolução qualitativa das rodovias concedidas, diz o documento do processo 012.624/2017-9, que teve como relator o ministro Bruno Dantas.

Os técnicos do Tribunal constataram também que falta estrutura ao Programa de Concessões Rodoviárias Federais (Procrofe), o que acarreta fragilidades na execução, no acompanhamento e na avaliação do programa governamental.

 

Nova direção

As diretorias da Associação Brasileira das Empresas de Apoio Marítimo (Abeam) e do Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima (Syndarma) para o biênio 2019/2021 tomaram posse semana passada. Ambas as entidades têm na presidência Luis Gustavo Bueno Machado e na vice Erik Fabian Gomes Cunha. A vice-presidente-executiva é Lilian de Carvalho Schaefer, e o secretário-executivo, Comte. José Homero Xavier Sampaio, das duas entidades, que também compartilham o restante da diretoria

 

Black box’

A “caixa preta” do BNDES é vermelha, azul e branca. Desde 1998, o maior destino de operações externas do banco é a República Bolivariana... da América do Norte (US$ 17 bi). Seguida de longe (US$ 3,5 bi) pela República Popular... da Argentina.

 

Rápidas

A Associação de Embaixadores de Turismo do RJ realiza nesta terça-feira, na Sociedade Nacional de Agricultura, no Centro do Rio, o seu encontro anual. O Le Vélo Montagne, de Miguel Pereira, e o Bar do Davi, do Rio de Janeiro, receberão o selo de Amigo do Rio *** O presidente do Instituto Carlos Chagas e chefe da Divisão de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle, Ricardo Cavalcanti Ribeiro, participará de três mesas-redondas no 5º Congresso Libanês de Cirurgia Plástica, de 19 a 21 de setembro, em Beirute, no Líbano.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor