Equipe neoliberal faz o que disse que não ia fazer

Com indústria desabando e economia 5% abaixo de 2014, governo atira em todas as direções.

Fatos e Comentários / 18:04 - 1 de ago de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os dados divulgados pelo IBGE sobre a indústria comprovam a Lei de Murphy: não há nada tão ruim que não possa piorar. Após ensaiar uma recuperação no início de 2018, a produção industrial voltou à queda, trajetória que começou em julho do ano passado. Olhando em um horizonte mais amplo, a indústria brasileira hoje está 14,5% abaixo do que era em 2012. Desde meados de 2014 vem acumulando quedas.

O professor da Unicamp Marcio Pochmann detona, em seu Twitter: “Sob o comando do receituário neoliberal, a economia brasileira segue, em 2019, sendo 5% inferior à do ano de 2014, acompanhada do aprofundamento da degradação do trabalho. Nos últimos cinco anos, a taxa de desemprego aberto subiu 76,5%, e a de subutilização do trabalho aumentou 67,6%.”

Os resultados, piores até do que os do Governo Temer, minam a popularidade de Bolsonaro, que tenta desviar atenção com uma produção crescente de factoides. E aumenta a pressão sobre a equipe econômica. Como destaca Pochmann, o governo improvisa medidas descoordenadas. “Semana passada, a liberação do FGTS, agora o Bacen surpreende porta-vozes do dinheiro reduzindo a Selic em 0,5 ponto percentual. Antes, diziam que os juros só cairiam após a deforma previdenciária.”

 

Sonhos do Passado’

O professor Paulo Márcio de Mello, titular da coluna Empresa-Cidadã, empresta seus conhecimento e experiência para um adendo à nota “Bardella e o ocaso da burguesia nacional”, publica anteontem. “Me fez lembrar do filme norte-americano de John G. Avildsen, Oscar de melhor ator, em 1973, para Jack Lemmon, que contracenou com Jack Gilford, um dos melhores filmes que Hollywood já produziu (Save the Tiger, aqui traduzido para Sonhos do Passado). Apesar do sol agressivo aqui, cheguei a ver a bruma em que o início do filme é envolto. Uma viagem no tempo.”

Na bruma”, prossegue Paulo Márcio, “junto ao Claudio Bardella, vi os vultos dos irmãos Vilares, de Einar Koch, de Abraham Kasinski, de Arthur João Donato, de Oswaldo Vieira Marques, de Euvaldo Lodi e de outras lideranças que podiam ser apresentadas, além de empresários, como bibliófilos (José Mindlin, Grupo Metal-Leve), ou como filantropos (José e Antônio Ermírio de Moraes, Grupo Votorantim), ou como probos (Jones Santos Neves Filho; Findes), ou ainda, como patriotas.”

O professor conclui: “Filho de um industrial que sou e me orgulho, participei, durante dez anos, de um programa mantido pela CNI para estimular a interação Indústria–Universidade, sob a liderança exata do empresário capixaba e ex-presidente da Findes Oswaldo Vieira Marques. Dá para avaliar o cacete que a gente tomava nas primeiras conversas com a Academia, cacetes estes nutridos a preconceito. Invariavelmente, em todas as unidades da Federação, o ímpeto contra a indústria foi contido, e até revertido, quando conseguíamos mostrar que o parque industrial brasileiro era patrimônio do povo brasileiro. Estou certo de que, hoje, com a hegemonia do capital financeiro, isto não seria possível.”

 

Indignação seletiva

Cuba obter do BNDES empréstimos de 656 milhões de dólares é ideologia; o governo brasileiro abrir mão de receber anualmente 200 milhões de dólares do Paraguai para ajudar o presidente ameaçado de impeachment é amizade entre vizinhos?

 

Rápidas

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, confirmou presença na cerimônia de abertura do Congresso Brasileiro de Agronomia (CBA), que acontece no Rio de Janeiro de 20 a 23 de agosto. A abertura será no Teatro Municipal. As atividades técnicas acontecerão entre 21 e 23 no Hotel Prodigy Santos Dumont Airport. Também estarão presentes o secretário de estado de Agricultura, Eduardo Lopes, e o chefe-geral da Embrapa Solos, José Carlos Polidoro, entre outros. Mais em cba-agronomia.com.br *** O Shows de Sexta no Caxias Shopping começa agosto com a cantora Isabor Souza em homenagem à dupla Sandy e Junior, às 19h30 *** O Shopping Nova Iguaçu está com concurso cultural para criação de mascote. As inscrições, no local, vão até 8 de agosto *** Nesta sexta-feira, a cantora Bruna Barros lança o novo single Não me chama de galinha, com show ao vivo, no DöZen Art Bar, Leblon, a partir das 23h *** No Almoço do Empresário desta sexta-feira, a Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) recebe o procurador-geral de Justiça do MPRJ, Eduardo Gussem.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor