Envelhecimento da população atrapalha economia de 12 países

Itália, Japão, Grécia, Portugal e Espanha são os mais ameaçados, diz Moody's.

Acredite se Puder / 17:57 - 23 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Estudo produzido pela Moody’s mostra que uma das maiores ameças para a economia de diversos países é o envelhecimento da população, e, se a produtividade não acelerar, o crescimento do produto interno bruto terá taxas negativas dentro de dez anos. A análise foi feita com os 12 países que têm a população mais envelhecida, ou enfrentam as mais rápidas taxas de crescimento na população idosa. A agência de classificação de risco chegou à conclusão de que, a partir de meados da década de 2020 na Itália, e no início da de 2030 no Japão, Grécia, Portugal e Espanha, o envelhecimento, caso não seja enfrentado por medidas para estimular a produtividade e aumentar a atividade econômica, levará o crescimento potencial da economia para ou abaixo de zero. Portugal está não só neste grupo dos 12 países, mas também no que enfrenta as maiores ameaças ao crescimento econômico nos próximos anos devido ao envelhecimento da população. Para a Moody’s, o país é um dos cinco que vão enfrentar a pressão mais aguda, caso não consiga acelerar seu aumento de produtividade.

 

Aliansce vende shoppings por R$ 208,1 mi

Por R$ 298,1 milhões, a Aliansce Sonae Shopping Centers vendeu a totalidade da sua participação no Shopping West Plaza, no Boulevard Shopping Brasília e no Shopping Santa Úrsula e a reduziu participações no Boulevard Shopping Campos e no Parque Shopping Belém. Em comunicado ao mercado, a empre informou que o valor de venda dos shoppings Campos e Parque Belém será acrescido de uma remuneração variável (earn-out) baseada no desempenho de ambos os shoppings nos próximos 12 meses e ressaltou que o cap rate implícito das transações é de 7,3%. Após as transações, a companhia terá participações de 75,0% no shopping Campos e de 51% no Parque Belém. O Credit Suisse avaliou que a venda foi positiva, já que eram ativos de menor produtividade. Além disso, a operação vai ajudar ainda na desalavancagem da companhia, que deverá recuar de 3,1 vezes para 2,7 vezes.

 

Weg apresentou resultados sólidos

A Weg divulgou aumento de 18,4% no Ebtida, com elevação de 17,3% na margem. Para os analistas dp Itaú BBA, os resultados foram sólidos, com uma expansão constante da margem, devido ao controle de custos e despesas, redução de alguns preços de matérias-primas, ganhos de escala e melhor mix, resultando numa melhora de 2,2 pontos percentuais na margem Ebitda. A WEG informou ainda hoje que está iniciando o projeto de instalação de uma nova fábrica de motores elétricos de baixa tensão em Hosur, na Índia. Com investimentos de aproximadamente US$ 20 milhões, a fábrica terá 13.000 metros quadrados de área construída e capacidade para produzir até 250.000 motores por ano, atingindo potencias até 355 kW. As ações da Weg tiveram valorização de 4,28% e foram para R$ 25,80.

 

Log-In quer fazer captação

A Log-In Logística Intermodal comunicou ao mercado que estuda a viabilidade de uma captação primária de recursos, por meio de uma oferta pública de distribuição de ações com esforços restritos de colocação. Até o momento, a companhia não definiu e nem aprovou a efetiva realização de uma potencial oferta e nem os termos e condições que seriam aplicáveis”, acrescentou, justificando que a decisão dependerá das condições de mercado e aprovações societárias. Como ninguém gostou dessa notícia, as ações da Log-In foram negociadas em baixa de 4,45% e chegaram a R$ 21,70.

 

Dono da MRV é insistente

A MRV vai convocar assembleia de acionistas em 30 dias. Enquanto isso, administração e comitê independente avaliam comentários de acionistas sobre estrutura do potencial investimento a ser realizado na AHS Residential. E as ações nesta quarta caíram 1,39% a 17,74%.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor