Empresa chinesa produz peça do trem de pouso para Boeing 787

Suporta a decolagem e a aterrissagem de aeronave.

Mercado Financeiro / 22:31 - 13 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O cilindro externo forjado para o principal trem de pouso do Boeing 787, um importante componente que suporta a decolagem e a aterrissagem de aeronave, começou a ser produzido por uma empresa na Província de Sichuan, no sudoeste da China.

A China Erzhong é uma subsidiária da China National Machinery Industry Corporation Ltd. (Sinomach), um conglomerado de máquinas de propriedade estatal. É uma empresa de capital aberto (referida como código de ações 601268), possui 8 institutos de pesquisa, 11 divisões, subsidiárias e empresas subsidiárias.

O Grupo Nacional Nacional Erzhong da China costumava ser conhecido como Segunda Fábrica de Máquinas Pesadas, um legado da época em que os principais fabricantes eram nomeados numericamente. No ano de 1993, foi renomeado para China National Erzhong Group Co. e abreviado para China Erzhong. A China Erzhong foi listada como uma das 39 principais empresas de backbone reconhecidas como “Segurança do Estado e Linha de Vida Econômica Nacional” em 1999.

Em 2013, o gabinete da China projetou a aquisição da Erzhong pela Sinomach, mas a fusão não conseguiu conter as perdas na Erzhong. Começou a produção em 1971 e alegou ser a maior empresa de construção de máquinas pesadas da China.

A empresa explicou que o componente produzido para a Boeing tem 3 metros em comprimento e 1,5 metro em largura, com um peso de 3,5 toneladas. A peça é feita de aço ultraforte, sendo um dos maiores equipamentos do trem de pouso do mundo para uma aeronave civil.

Conforme a agência Xinhua, os produtos serão entregues para a gigante francesa de aviação Safran Landing Systems. A Wanhang também anunciou que o cilindro externo forjado para o principal trem de pouso do Airbus A320/321 passou por qualificação. Com a cooperação estabelecida em 2012, a Wanhang se tornou uma importante fornecedora da Safran. Os dois lados assinaram um acordo de cooperação estratégica em abril deste ano.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor