Advertisement

Em tempos de crise, venda de milhas funciona como renda extra

Publieditorial.

Empresas / 15:45 - 12 de Jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Acumular pontos em programas de fidelidade é bastante comum, mas nem sempre o cliente tem ideia de como esses pontos podem se tornar um recurso a ser usado no futuro. Mesmo quem aparentemente tem poucos pontos - capazes de trocá-los apenas pequenos eletrodomésticos, por exemplo - pode se impressionar com o retorno financeiro que tais pontos podem significar se transformados em milhas e negociados.

Em tempos de crise, toda oportunidade de conseguir renda é válida e venda de milhas pela Internet é uma das formas de converter os pontos do cartão de crédito em dinheiro. Dados da Associação das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf) mostram que 7,9 bilhões de pontos ou milhas deixaram de ser resgatados no terceiro trimestre de 2018. Deixar pontos expirarem significa perder dinheiro.

O mercado de fidelização tem crescido a cada dia e se mostrado um bom meio de fazer dinheiro. O estudo da Abemf aponta que só no terceiro trimestre de 2018 houve mais de 124 milhões de novos cadastros em programas de fidelidade e mais de 72 bilhões de pontos ou milhas emitidos por meio desses programas. O faturamento bruto das empresas no mesmo período foi próximo de R$ 1,76 bilhão, com o resgate de mais de 64 bilhões de pontos ou milhas nos últimos três meses de 2018.

Segundo a Abemf, as principais fontes de acúmulo de milhas ainda são as compras por meio de cartão de crédito, que representam 88,9% do total de pontos acumulados. Voos são responsáveis pelo restante de pontos ou milhas acumulados, chegando a 11,1% do total. A maioria dos clientes prefere transformar seus pontos em milhas e voar, sendo 75,3% deste público. Mas ainda 24,7% dos clientes costumam trocar seus pontos por produtos ou serviços.

Para além de voar ou trocar por pequenas mercadorias, o cliente dos programas de fidelização pode abocanhar uma parte desse promissor faturamento, transformando seus pontos em milhas e vendendo-os posteriormente. A boa notícia é que o processo é simples e seguro, com garantia de retorno financeiro até para quem tem poucos pontos acumulados.

Para transformar pontos acumulados em cartão de crédito em milhas basta procurar algum dos programas de fidelidade das companhias aéreas. Vale a pena pesquisar bem, pois alguns dão mais vantagens e chegam a ter promoções que pagam melhor pelos pontos. Uma vez transformados em milhas, a pontuação pode ser vendida em um site como a MaxMilhas.

Na plataforma, o vendedor de milhas pode escolher a quantidade de milhas que quer vender e o valor que deseja por elas. A MaxMilhas indica o preço médio de venda, para que as milhas ofertadas sejam mais competitivas e possam ser vendidas mais rápido. A oferta feita pelo anunciante passa por uma análise e logo depois é disponibilizada.

Quando a oferta é compatível com as necessidades de um comprador, a própria plataforma emite as passagens no nome do cliente, usando as milhas do vendedor. Assim que a transação é efetuada, a plataforma tem até 20 dias para pagar o valor solicitado pelas milhas, sem descontos, na conta bancária do vendedor.

Todo o procedimento, da oferta à venda de milhas, é simples, uma vez que tudo é informatizado e o cliente pode, quando quiser, reduzir o número de milhas ou aumentar o valor da oferta. A segurança também é garantida, pois todos os protocolos são realizados para que nenhum dado do vendedor seja exposto.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor