É a economia que desmonta factoides de Bolsonaro

Desemprego, recessão, reforma da Previdência: são estes os assuntos que governo quer esconder.

Fatos e Comentários / 20:21 - 5 de ago de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Recomeça a votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, e com isso o Brasil retorna à realidade. Muito se falou durante o recesso sobre as barbaridades disparadas pelo presidente Jair Bolsonaro. É clara a intenção de desviar a atenção e, como mostraram colunistas e analistas, não há nada de espontâneo nas declarações de Bolsonaro.

Por isso mesmo, a melhor forma de lidar com elas é agir como o próprio presidente: ignorar as provocações. Ignorar o secundário e insistir no principal. Desemprego, economia em queda, indústria ladeira abaixo e, principalmente, a reforma da Previdência. São estes os temas que levaram Bolsonaro a ser o mais impopular presidente em primeiro mandato. É nesses pontos que se deve concentrar quem deseja um Brasil melhor.

 

Licenciamento no prazo

São frequentes as críticas à morosidade nos licenciamentos ambientais. Mas auditoria empreendida pelo Tribunal de Contas da União (TCU) chegou à conclusão que a atuação do Ibama na análise dos estudos de impacto ambiental (EIA) cumpriu os prazos em 75% dos processos examinados referentes a sistemas de transmissão de energia. A maior parte dos processos de rodovias, porém, foram analisados com atraso.

De acordo com o relatório do TCU, o tempo médio total de análise dos processos de sistemas de transmissão de energia elétrica foi de 351 dias, enquanto os processos sobre rodovias tiveram tempo médio total de análise de 557 dias. Ao todo, o Tribunal examinou 32 processos.

Entre as principais proposições apontadas, destaca-se a necessidade de aprimorar os procedimentos de avaliação de impacto ambiental (AIA), por meio da utilização de instrumentos como guias e documentos técnicos de referência. O Ibama também precisa melhorar a articulação e comunicação com órgãos e entidades intervenientes no Licenciamento Ambiental Federal (LAF), além de aprimorar a gestão dos processos. O relator do processo foi o ministro Weder de Oliveira.

 

Teflon

A prisão de Paulo Figueiredo Filho, neto do ditador João Baptista Figueiredo, expõe como a grande imprensa brasileira trata aqueles que lhe são próximos. O empresário estava foragido desde o início do ano e quase nenhuma linha saiu sobre ele no período.

Paulo Henrique Cardoso, filho do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, também goza da discrição dos jornalões. Não parece se tratar de preferência por Paulos, mas sim a extensão aos descendentes da simpatia dedicada aos ex-presidentes e ex-ditadores “amigos da casa”.

Neste rol entram a família Sarney, a de FHC, e até mesmo, em certo grau, Collor de Mello. Quem mandou Lula ter o sobrenome Silva?

 

Fim de férias

Em 2015, o neto do ditador João Figueiredo se queixou de ter sido revistado em aeroporto nos EUA. Disse não se chamar Ahmed, ser diretor do Instituto Liberal e o avô, amigo do Reagan. Hoje, Paulo Figueiredo Filho está preso em Miami, onde há 6 meses se escondia como um Ahmed.

 

Rápidas

O Corecon-RJ comemora o Dia do Economista com o debate “Gestão e Finanças Públicas no RJ”. Será dia 14 *** O Sem Parar anuncia Humberto Filho como seu novo chefe de Relações Institucionais *** De 7 e 9 de agosto ocorrerá o XXVII Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), no Tivoli Mofarrej, em São Paulo. Confira a grade científica em sistemacenacon.com.br/evento/sbh2019/programacao/gradeatividades *** Até o dia 31, o Carioca Shopping sediará o Espaço Geekstar, diariamente, das 10h às 21h *** Começou mais uma edição do Prêmio Congresso em Foco, que reconhece o trabalho dos parlamentares mais atuantes em 2019: premio.congressoemfoco.com.br/polls/free/25 *** O Carioca Shopping celebra o Dia dos Pais sexta, sábado e domingo, com um festival de cervejarias artesanais *** O curso de Classificação e Degustação de Café da Associação Comercial de Santos (ACS) está com inscrições abertas, e ocorrerá de 2 a 26 de setembro. Outras informações pelo telefone (13) 3212-8200 com Noemi Costa *** Os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli participarão, nesta sexta-feira, do seminário “Repercussão Geral da questão Constitucional e os recursos repetitivos no Supremo Tribunal Federal”, na Associação dos Advogados de São Paulo (Aasp), na Alameda Santos, 2159. As vagas para acompanhamento presencial estão esgotadas, mais ainda se pode inscrever para assistir online aasp.org.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor