Disponibilidade de 4G cresce no Brasil em meio à espera pelo 5G

Melhora tem relação com o desligamento da TV analógica, que liberou a faixa de frequência 700 MHz e impulsionou alcance do 4G.

Informática / 13:28 - 25 de jul de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Depois de anos de atraso, o Brasil finalmente demonstra crescimento na qualidade do sinal de internet 4G. O 9º Relatório de Experiência Móvel no Brasil, divulgado pela Opensignal, mostra que o país está deixando de lado o posto de "retardatário" na disponibilidade de redes móveis 4G e pode se tornar um dos líderes da América Latina no quesito.

O crescimento acontece pouco menos de um ano antes do início do leilão da tecnologia 5G, marcado para março de 2020. Segundo a pesquisa, a melhora tem relação com o desligamento do sinal de TV analógica, que liberou a faixa de frequência 700 MHz e impulsionou o alcance do 4G. Isso significa que os consumidores têm acesso a conexões mais rápidas com mais frequência.

O estudo analisou a experiência de rede para clientes das principais operadoras do país TIM, Claro, Vivo, Oi e Nextel. Para este relatório, a empresa coletou e analisou mais de 8 bilhões de medições obtidas de mais de 999.385 dispositivos usando o aplicativo da Opensignal no Brasil durante um período de três meses: de 1º a 29 de março. As métricas utilizadas foram: Disponibilidade 4G, Experiência de Vídeo, Experiência de Velocidade de Download e Upload e Latência.

O relatório avaliou a conectividade de 999.385 dispositivos das (TIM, Claro, Vivo, Oi e Nextel em algumas cidades), entre 1º de março e 29 de maio. Ao todo, a empresa analisou mais de 8 bilhões de informações dos usuários brasileiros.

A TIM manteve sua liderança em relação às concorrentes e ultrapassou pela primeira vez a marca dos 80% de disponibilidade de sinal 4G. Além disso, a operadora italiana também tem vantagem na latência do 4G, ou seja, possui menos delay de sinal em transmissões ao vivo de vídeo e áudio.

Em termos de velocidade de download, a Claro segue à frente da concorrência. A subsidiária da mexicana América Móvil tem média de 19,8 Mbps de velocidade, contra 14,2 da segunda colocada, a Vivo. A TIM e a Oi cresceram em relação à pesquisa anterior, mas seguem longe da liderança, com 11,6 Mbps e 8,6 Mbps respectivamente.

No quesito velocidade de upload, a Claro também domina, com 6,4 Mbps. Vivo e TIM demonstraram melhora em relação ao último levantamento, mas ainda não conseguiram se aproximar da qualidade da concorrente.

O relatório apontou que o brasileiro tem tido uma experiência de vídeo cada vez melhor. A Claro permanece como a única operadora com boa qualidade de vídeo (55 a 65 pontos em uma escala de 100). A TIM e a Vivo, porém, impulsionaram a experiência de vídeo de seus usuários e estão muito próximas de alcançar a marca dos 55 pontos.

A TIM leva a melhor em disponibilidade de 4G nas cinco maiores cidades do país: São Paulo (90%), Rio de Janeiro (88,9%), Brasília (90,7%), Salvador (88,6%) e Fortaleza (90,4%).

Em experiência de vídeo, a disputa é apertada nas cidades mais populosas do país. A Claro tem vantagem em São Paulo e Rio. Em Salvador, tem empate técnico com a Vivo, que leva a melhor em Fortaleza. Em Brasília, o usuário da TIM tem a melhor qualidade de vídeos no 4G.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor