Advertisement

Disparada do dólar leva BC a reforçar oferta de swap

Após o dólar fechar em alta pelo sexto pregão consecutivo nesta sexta-feira, o Banco Central anunciou que fará uma oferta...

Conjuntura / 19 Maio 2018

Após o dólar fechar em alta pelo sexto pregão consecutivo nesta sexta-feira, o Banco Central anunciou que fará uma oferta adicional de swap cambial, que equivale à venda de dólares no mercado futuro, a partir da semana que vem. Ao todo, serão leiloados 15 mil contratos na próxima segunda-feira, entre 9h30 e 9h40, informou a autoridade monetária, em nota.
Além do leilão adicional de swap, o Banco Central dará continuidade à rolagem integral dos contratos que vencem em 1º de junho. A medida já vinha sendo adotada ao longo da semana, em que o dólar acumulou alta de 3,85% frente ao real. 
A desvalorização do real frente ao dólar se manteve pelo sexto pregão consecutivo e a moeda norte-americana fechou a sexta-feira valendo R$ 3,74, com um aumento de 1,04% em relação ao dia anterior. Desde o início do ano, a moeda norte-americana se valorizou 11,39% sobre o real.
Em anúncios de casas de câmbio de São Paulo, o dólar turismo, usado para quem vai fazer uma viagem internacional, estava sendo vendido a R$ 3,93, nas ofertas mais baratas para a compra de dinheiro vivo (papel-moeda). Já para compra de dólares na forma de cartão pré-pago, o preço de venda variava entre R$ 4,09 e R$ 4,10. 
O economista Jackson De Toni, gerente de Planejamento da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), diz que a alta do dólar deve impactar em todas as commodities internacionais que estão vinculadas à moeda americana. “Todas as áreas que dependem de importação de insumos, produtos ou manufaturados que vêm do exterior, por exemplo, os componentes básicos da indústria farmacêutica, o trigo importado, vemos também nos preços dos combustíveis”, avalia.
Já o economista da Associação Paulista de Supermercados (Apas), Thiago Berka, considera que os preços nos supermercados poderão ser impactados de forma leve pelas constantes variações cambiais do dólar apresentadas recentemente, porém não será o suficiente para aumentar o índice de inflação mensurado no setor, que deverá permanecer contido nos próximos meses. 
Segundo a entidade, um possível aumento pode ocorrer de forma mais branda e especialmente no segundo semestre do ano, já que historicamente, a partir de um câmbio de dólar cotado por mais de 15 dias seguidos a mais de R$ 3,70, houve correlação leve no aumento dos preços no setor.