Advertisement

Dia Internacional da Reciclagem

Direito Ambiental / 15 Maio 2018

Embora não muito divulgado, esta quinta-feira, dia 17 de maio, é considerada o Dia Internacional da Reciclagem, cuja observância é essencial para se conservar o meio ambiente sadio. Muitas vezes, a utilização irracional de recursos naturais causa a impossibilidade de recuperar o que foi modificado na natureza pela atuação irracional do homem. Frequentemente se diz através da reciclagem que objetos, materiais utilizados nas produções para o consumo, podem causar eternos desfalques que abrem mão para consequências nefastas e irreparáveis na natureza.

Como um dos vários exemplos, podemos lembrar-nos das embalagens plásticas que lançadas ao solo, na água, no mar permanecem centenas de anos como uma das causas que devemos combater para a preservação do meio ambiente. Dizem recentes reportagens que foram descobertos métodos para diminuir o tempo de duração desses materiais. Esperamos assim, um resultado favorável que beneficiará a todos.

Podemos aqui divulgar a ideia de reciclagem, conforme se extrai da Wikipédia como sendo o processo de conversão de desperdício em materiais ou produtos de potencial utilidade. Este processo permite reduzir o consumo de matérias-primas, de utilização de energia e a poluição do ar e da água, ao reduzir também a necessidade de tratamento convencional de lixo e a emissão de gases do efeito estufa. A reciclagem é um componente essencial da gestão de resíduos moderna e é o terceiro componente da hierarquia dos resíduos “reduzir, reutilizar e reciclar”.

Entre os materiais recicláveis estão diversos tipos de vidro, papel, metal, plástico, tecidos e componentes eletrônicos. A compostagem ou reutilização de detritos biodegradáveis, como lixo de cozinha ou de jardim, também é considerada reciclagem. Os materiais para serem reciclados são transportados para um centro de reciclagem ou recolhidos porta a porta e depois separados, limpos e reprocessados em novos materiais para produção industrial.

Em sentido estrito, a reciclagem de um material produziria idêntico material em bruto; por exemplo, papel de escritório usado seria convertido em novo papel de escritório, ou espuma de poliestireno em novo poliestireno. No entanto, isto é geralmente complexo ou mais caro quando comparado com a produção de raiz do mesmo material, pelo que a reciclagem de muitos produtos ou materiais implica a sua reutilização na produção de materiais diferentes; por exemplo, o papel pode ser convertido em cartão. Outra forma de reciclagem é a separação e recolha de materiais a partir de produtos complexos, quer devido ao seu valor monetário (por exemplo, chumbo de baterias automóveis ou ouro de computadores), quer devido à natureza nociva (por exemplo, remoção de mercúrio de vários produtos).

No meio ambiente, tanto a reciclagem, como a reutilização podem reduzir a acumulação progressiva de resíduos, evitando a produção de novos materiais, como por exemplo, o papel, que exigiria o corte de mais árvores, com emissões de gases como metano e gás carbônico, consome de energia, agressões ao solo, ar e água, entre outros tantos fatores negativos.

No aspecto econômico a reciclagem contribui para o uso mais racional dos recursos naturais e a reposição daqueles recursos que são passíveis de reaproveitamento. No âmbito social, a reciclagem não só proporciona melhor qualidade de vida para as pessoas, através da preservação das condições ambientais, como também tem gerado muitos postos de trabalho e rendimentos para pessoas que vivem nas camadas mais pobres.

Todos os dias uma grande quantidade de lixo é gerada no mundo, por isso a reciclagem se tornou indispensável na manutenção do planeta. Deixamos nesta coluna um momento de reflexão: qual é a minha contribuição com o meio ambiente?

Continuamos nas próximas colunas, abordando temas sobre conservação e preservação ambiental.