Mais de 3 milhões buscam emprego há pelo menos 2 anos

Resultado é recorde e mostra efeitos da política neoliberal após 2016.

Conjuntura / 12:15 - 15 de ago de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Um em cada quatro desocupados no Brasil estão à procura de emprego há mais de dois anos. São 3,347 milhões de pessoas nesta situação. A taxa, exatos 26,2%, é a maior desde o início da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), em 2012.

Os dados do IBGE sobre o segundo trimestre de 2019 mostram que 45,6% dos desocupados estavam de um mês a menos de um ano em busca de trabalho; 14,2%, de um ano a menos de dois anos; e 14%, há menos de um mês.

“A proporção de pessoas à procura de trabalho em períodos mais curtos está diminuindo, mas tem crescido nos mais longos. Parte delas pode ter conseguido emprego, mas outra aumentou seu tempo de procura para os dois anos”, afirmou à Agência Brasil a analista da Pnad Contínua Adriana Beringuy.

Entre 2012 e 2015, houve redução da proporção de desocupados que buscavam trabalho há 2 anos ou mais. Contudo, a partir de 2016, com o aprofundamento das políticas econômicas neoliberais, esse contingente apresentou crescimentos sucessivos.

Na comparação entre o segundo trimestre de 2019 e 2012, o número de pessoas que procuram emprego há menos de um mês quase dobrou (aumento de 97%), para 1,8 milhão. Nada menos do que 5,8 milhões de brasileiros procuram um posto de trabalho há mais de um mês e menos de um ano, número 52% maior que em 2012.

Outro 1,8 milhão de pessoas está há mais de um ano, e menos de dois, buscando emprego. A alta é de 80% em relação a 2012. Finalmente, o número dos que buscam ocupação há mais de dois anos, 3,347 milhões, é 120,8% maior do que há sete anos.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor