Deputada diz que extinção da Dersa foi para encobrir corrupção

Beth Sahão: "A Dersa está sendo extinta para evitar a ‘CPI da Dersa’, que mostraria a corrupção no interior dos governos tucanos.

São Paulo / 23:14 - 11 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou, na sessão ordinária desta terça-feira, um projeto de lei do governo estadual que extingue a empresa pública Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) por 64 votos a 15. Entre os empreendimentos elaborados pela empresa estão o ainda inconcluso Rodoanel e as rodovias Imigrantes, Ayrton Senna e Bandeirantes, hoje geridas pela iniciativa privada.
Contudo, para a deputada estadual Beth Sahão, que se opôs à privatização, “a Dersa está sendo extinta para evitar a ‘CPI da Dersa’, que mostraria a corrupção no interior dos governos tucanos [do PSDB]. O real motivo não é prejuízo, não é déficit. Pelo contrário, o governo [João Doria (PSDB)] deve para a Dersa e não paga”. A declaração da deputada foi feita ao site Brasil de Fato, que até a publicação da matéria não tinha obtido retorno do PSDB para comentar as acusações.
Criada em 1969, a Dersa era responsável pela elaboração de projetos de engenharia na área de transportes, pela gestão do sistema de balsas estaduais e de rodovias construídas por ela própria – atribuição que perdeu em 2006, ano da última concessão realizada pelo governo.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor