Depósitos em previdência privada explodem com reforma

Captação cresceu 66% em agosto, mês em que a Câmara votou cortes.

Seguros / 23:13 - 24 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A indústria de previdência privada complementar aberta registrou um expressivo crescimento no mês de agosto. As novas contribuições somaram R$ 11,5 bilhões no mês, valor 23,4% maior que o verificado em igual período do ano anterior. Em 7 de agosto, a Câmara dos Deputados concluiu a votação da reforma da Previdência, que foi então encaminhada ao Senado.
A captação líquida (diferença entre novos depósitos e resgates) foi de R$ 5,3 bilhões, com expansão de 66,3% frente a agosto do ano anterior. Os dados são da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi).
No acumulado de janeiro a agosto, a previdência complementar aberta registrou R$ 79,7 bilhões em novos depósitos, crescimento de 15,5% frente ao mesmo período do ano anterior. A captação líquida nos oito primeiros meses do ano fechou em R$ 32,1 bilhões, 42,4% acima do verificado em igual intervalo de 2018.
A queda na taxa de juros continua impulsionamento o apetite por risco dos participantes dos planos de previdência aberta, que se deslocam para fundos multimercado em busca de maior rentabilidade. Até agosto deste ano, 12,05% dos recursos foram alocados nesta modalidade. O índice era de 10,2% em 2018; 8,1% em 2017; e 5,7% em 2016.
As reservas dos planos de previdência alcançaram R$ 904,7 bilhões, 13% superior ao registrado em agosto de 2018. O sistema fechou o mês com 13,3 milhões de participantes, 2,2% superior a agosto de 2018.
Os planos individuais lideram a captação no oitavo mês do ano, com 90% novos depósitos. Os planos coletivos, oferecidos por empresas a seus funcionários, responderam por 9% do total da captação no mês. Os planos para menores, por sua vez, ficaram com 1% das contribuições.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor