Denúncia contra Greenwald é repudiada até pela ONU

Entidades de imprensa, de juristas e políticos também reagiram.

Política / 00:12 - 22 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

 

Entidades de imprensa e de juristas, políticos e a Organização das Nações Unidas (ONU) reagiram à denúncia do Ministério Público Federal em Brasília (MPF), nesta terça-feira, ao jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, e classificaram-na de um ataque à liberdade de imprensa.

De acordo com o relator da ONU sobre liberdade de expressão, David Kaye, serão cobradas explicações do governo brasileiro a respeito da denúncia contra o jornalista. Em entrevista ao colunista do Uol, Jamil Chade, o relator afirmou ser "extremamente preocupante que isso possa fazer parte de um esforço para intimidá-lo para que pare de fazer jornalismo", disse.

Em nota publicada, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) repudiou a decisão do MPF. Diz a nota que a ABI "manifesta sua irrestrita solidariedade ao jornalista Glenn Greenwald diante da denúncia absurda apresentada à justiça por um procurador do Ministério Público Federal". Segundo a nota, a denúncia "representa um atentado à constituição brasileira, um desrespeito ao STF e à Polícia Federal, bem como uma tentativa grotesca de manipulação, para tentar condenar o jornalista".

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em sua conta no Twitter, também prestou sua solidariedade ao jornalista, "vítima de mais um evidente abuso de autoridade contra a liberdade de imprensa e a democracia", escreveu.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor