Advertisement

Delegado de Homicídios vai cuidar só do caso Marielle

Diretor do novo DHPP garante que investigação está avançada, mas não dá prazo para conclusão.

Rio de Janeiro / 22:41 - 09 de Jan de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ao tomar posse nesta quarta-feira, como diretor do recém-criado Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) no Rio de Janeiro, o delegado Antônio Ricardo disse que Giniton Lages, da Delegacia de Homicídios da Capital, será mantido no comando das investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Pedro Gomes.
Marielle e Anderson foram mortos na noite de 14 de março do ano passado, ao sair de um evento político no centro do Rio. O delegado Antônio Ricardo disse que a investigação avançou muito e que tem riqueza de evidências dos suspeitos de envolvimento no crime.
“O delegado Giniton ficará exclusivo nesse caso. Nós vamos colocar mais delegados e mais agentes na Delegacia de Homicídios. A equipe que está à frente da investigação já me apresentou o trabalho (que vem sendo feito ao longo desses meses).”
Na avaliação do delegado Antônio Ricardo, o trabalho está bem avançado. “Eu não posso prever prazos de conclusão, mas posso afirmar que a investigação avançou muito. Queremos concluir a investigação o quanto antes, mas com a maior riqueza de provas possível”, afirmou.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor