Defenda a democracia no Brasil

Fatos & Comentários / 23 Janeiro 2018

A democracia está sob ataque no Brasil, sustenta a poderosa International Trade Union Confederation (Ituc), a Confederação Sindical Internacional, maior união de sindicatos do planeta. A entidade entrou de cabeça na campanha em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que será julgado nesta quarta-feira pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre. Sharan Burrow, secretária-geral da Ituc, sustenta que a corte de apelação vai decidir sobre acusações falsas e com motivação política. “Eles desejam um veredito de culpado para impedi-lo de participar das eleições novamente, destruir sua reputação e remover sua influência”, acusa a sindicalista.

A entidade lidera a campanha “Stand with Lula. Stand up for democracy in Brazil” (Fique com Lula. Defenda a democracia no Brasil, que recebe adesões em www.standwithlula.org/). A Ituc afirma que a deposição de Dilma Rousseff foi um golpe parlamentar em que um grupo de políticos corruptos tomou o poder para implementar uma agenda de medidas contra a população, inclusive a tentativa de mudar o conceito de trabalho escravo, destruindo o que foi feito pelo ex-presidente em seus dois governos. “Os opositores a Lula estão engajados em um julgamento pela mídia, na mais extraordinária campanha de difamação contra uma figura pública na história do país” (pequeno exagero: ignoram a campanha contra Getúlio Vargas).

O povo brasileiro viu que é possível. Sob a liderança de Lula, o gosto da prosperidade compartilhada deu a todos a esperança. Desde que os colegas de negócio de Temer tomaram as rédeas, 22 milhões de pessoas estão agora abaixo da linha de pobreza, e uma em cada cinco famílias não tem renda alguma! Isto é inacreditável em um país rico”, criticou Sharan Burrow. A Ituc representa 202 milhões de trabalhadores em 163 países e territórios. Conta entre seus filiados com a poderosa AFL-CIO norte-americana. CUT, Nova Central, UGT e CNPL são as entidades brasileiras que integram a Confederação Internacional, cujo presidente é João Antonio Felicio, ex-presidente da CUT.

 

Burocracia

O ano mal começou e as micro, pequenas e médias empresas brasileiras já perderam mais de um dia de trabalho dedicado com tarefas administrativas, gerando um prejuízo de R$ 4,6 milhões em produtividade. As tarefas administrativas chegam a custar mais de R$ 79 bilhões por ano às pequenas empresas do Brasil. A informação é do Termômetro de Produtividade da Sage para MPMEs, lançado pela multinacional britânica de software de gestão.

A ferramenta online calcula o custo do tempo alocado pelos donos de pequenos negócios de 11 países com afazeres como emissão de notas, pagamentos, recrutamento e RH e contabilidade ao longo do ano. A cada segundo, o Brasil desperdiça R$ 2.518; o mundo, US$ 19.292; por ano, são US$ 607 bilhões em perda de produtividade.

No Brasil, as pequenas empresas gastam mais de 20% das horas de trabalho de seus funcionários exclusivamente com atividades ligadas à área administrativa.

A entrada do eSocial – novo sistema de envio de informações de folha de pagamento e encargos trabalhistas – além das novas regras do Simples Nacional, que passaram a valer desde o início do ano, tendem a burocratizar ainda mais a gestão das empresas em 2018.

 

Rápidas

O Almoço do Empresário da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) no próximo dia 2 será com palestra do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles *** Rafa Prado é o primeiro patrocinador pessoa física da Camarote Bar Brahma, no Carnaval de São Paulo, em 18 anos que o espaço existe. Ele divulgará sua marca pessoal *** Nesta sexta-feira, a happy hour do Caxias Shopping (RJ) será ao som de sucessos da Black Music nacional e internacional com o cantor Josh Mille. A partir das 19h30 *** A posse de Flavio Amary, que foi reconduzido à presidência do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) para o seu segundo mandato (biênio 2018/2020), será no dia 31, com as presenças do governador Geraldo Alckmin e do prefeito João Doria Jr. *** Daniel Scuzzarello assume como diretor de Portfólio da Siemens PLM, com atuação na América do Sul *** Em entrevista a uma rede de televisão norte-americana, o ministro Meirelles disse que Lula lidera as intenções de voto porque as pessoas “têm boa lembrança de seu governo”. Só faltou completar: “Eu fiz parte dele, eu fiz parte dele!”