Advertisement

De joelhos

Fatos & Comentários / 19 Maio 2018

O casamento real britânico tem cheiro de mofo, com pessoas que parecem estar vestidas como no século XIX e com a mentalidade do século XVIII. Admite-se o interesse dos britânicos por um passado que, para eles, foi de glória, e para o resto do mundo, de pilhagem e mortes. Mas é inadmissível o destaque dado ao evento pela mídia tupiniquim. Os dois maiores portais de notícias brasileiros (??), UOL e G1, abriram a manchete, e as matérias seguintes, com notícias do casório.

Para se ter uma ideia, nem a edição internacional do The Guardian -- jornal inglês -- fez o mesmo, optando por noticiar um inicidente na China. O The New York Times e outros jornais norte-americanos destacaram, claro, o novo ataque a uma escola de lá. Sites de periódicos latinos colocaram em manchete o acidente com avião em Cuba, ou as eleições venezuelanas. (Argentina e Chile, porém, se juntaram à subserviência dos jornalões brasileiros).

Para ser sincero, não é de estranhar o destaque dado pelos sites brasileiros ao casamento real. Faz parte do que Nelson Rodrigues chamava de complexo de vira-latas. No caso da nossa elite, é vocação para capacho, mesmo.