CSN tem prejuízo de R$ 831,29 milhões no trimestre

Empresas / 16:14 - 12 de mai de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) registrou prejuízo de R$ 831,29 milhões no primeiro trimestre do ano, revertendo o lucro líquido registrado no mesmo período do ano anterior, de R$ 391,8 milhões. A companhia destacou que, no período, o resultado líquido gerencial ficou negativo em R$ 968 milhões, devido às despesas financeiras ex-variação cambial de R$ 890 milhões; ao resultado negativo com variação cambial de R$ 329 milhões e às receitas financeiras de R$ 251 milhões. A receita líquida da companhia siderúrgica retraiu 4% no trimestre, a R$ 3,84 bilhões. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, que inclui a participação proporcional do Ebitda das controladas e depreciações e amortizações do resultado financeiro líquido e de participação em investimentos, somou R$ 733 milhões, queda de 20% na base anual. As vendas de aço registraram recuo de 11% nos três primeiros meses de 2016, passando de R$ 1,407 milhão de toneladas no período de 2015, para 1,246 milhão de toneladas. Por outro lado, as vendas de minério de ferro cresceram 52% no primeiro trimestre de 2016, para 8,295 milhões de toneladas, ante 5,442 milhões de toneladas no mesmo período de 2015. A produção de minério de ferro totalizou 7,326 milhões de toneladas no primeiro trimestre deste ano, representando um crescimento de 23% ante a produção de 5,938 milhões de toneladas de minério de ferro de igual intervalo do ano passado. A compra de minério de terceiros subiu 14% no trimestre, para 617 mil toneladas. A dívida líquida ajustada da CSN terminou março em 26,65 bilhões de reais, aumento anual de 33 por cento. Com isso, o nível de alavancagem da empresa sobre o Ebitda ajustado seguiu em ascensão, passando de 8,15 vezes no quarto trimestre para 8,67 vezes ao final de março. A companhia investiu R$ 330 milhões no primeiro trimestre, praticamente o mesmo montante do aplicado no mesmo período do ano passado.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor