Advertisement

Crédito suplementar é aprovado por unanimidade, mas Brasília preocupa

Segundo Coinvalores, aprovação é importante, pois evita um shutdown e respeita a 'regra de ouro' do orçamento.

Opinião do Analista / 13:32 - 12 de Jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Bom dia

.

Crédito suplementar é aprovado por unanimidade, mas Brasília ainda preocupa - Ontem, foi aprovada a liberação de crédito suplementar ao governo, com 450 votos na Câmara e 61 no Senado. A aprovação é importante, pois evita um shutdown e respeita a "regra de ouro" do orçamento. Entretanto, pesa a notícia de que estados podem ficar de fora da reforma da previdência. Isso já está na conta da economia de R$ 1,2 trilhão em 10 anos. De toda forma, o revés aumenta a expectativa quanto a leitura do relatório, confirmada para amanhã. Em termos econômicos, foi a vez das vendas no varejo decepcionar, com queda de 0,6% em abril frente ao mês anterior. No conceito ampliado, que inclui automóveis e material de construção, o volume ficou estagnado, na mesma base de comparação.

.

Hong Kong é destaque de queda lá fora com protestos - O índice da Bolsa local, o Hang Seng, caiu 1,73%, muito mais do que a média das demais Bolsas asiáticas, por conta da elevação da tensão nos protestos contra um projeto de lei que facilita a extradição para a China. Sem grandes novidades no front comercial, o dia é de realização nas demais Bolsas, após dias mais positivos turbinados pela discussão sobre os juros nos EUA e pela trégua na disputa entre Trump e o México. Na Europa, o presidente do BCE, Mario Draghi, e a diretora do FMI, Christine Lagarde, reforçaram a preocupação com o efeito da elevação das barreiras comerciais no crescimento econômico global, em conferência do banco central europeu. Agora cedo saiu a inflação ao consumidor nos EUA, com desaceleração em relação ao mês anterior e, mesmo não sendo o índice de inflação que baliza a meta do Fed, deve reforçar a discussão sobre os cortes de juros. A intensidade dos cortes é a grande questão daqui para frente. O mercado precifica apenas 20% de chance de um corte na próxima reunião, mas quase 80% de chance de um corte até julho, com 15% de chance de um corte de 0,5 p.p. até lá. Para o final do ano, as apostas vão desde a manutenção da taxa a um corte de 1,25 p.p., com a maior parte do mercado apostando em um corte entre 0,5 p.p. e 0,75 p.p. nesse ano. A tabela abaixo, do CME Group mostra a expectativa do mercado para os juros após a última reunião desse ano, com apostas bem divididas, mas com um cenário favorável para Bolsa.

.

A briga continua entre Centauro (CNTO3) e Magazine Luiza (MGLU3) - A Centauro elevou pela segunda vez sua oferta para a aquisição da Netshoes, saindo de um preço de US$ 3,50 para US$ 3,70 por ação, totalizando US$ 114,9 milhões, valor 23,3% superior ao proposto pela Magazine Luiza. Além de elevar o preço da oferta, a Centauro propôs medidas visando eliminar os riscos referentes ao fluxo de caixa de curto prazo da Netshoes, que, segundo os principais acionistas da companhia, seria o motivo da preferência pela oferta da Magalu. A previsão é que os acionistas da Netshoes deliberem sobre as propostas nesta sexta-feira, dia 14.

.

Oferta pela Via Varejo (VVAR3) - O Pão de Açúcar (PCAR4), que detém 36,27% do capital da companhia, anunciou, em fato relevante, que recebeu carta de Michael Klein comunicando que, caso a companhia realize a venda de todas as ações que detém no capital social, em leilão de venda no pregão da B3, ele individualmente e em conjunto com outros investidores, apresentará ordens de compra pelo preço máximo de R$ 4,75 por ação. Em vista disso, o conselho de administração do Grupo Pão de Açúcar aprovou a venda de todas as ações detidas, em leilão na B3, pelo preço mínimo de R$ 4,75 por ação. Vale comentar que as ações da VVAR3 fecharam no pregão de ontem cotadas a um preço de R$ 5,00.

.

Gerdau (GGBR4) negocia aquisição - Segundo o "Valor Econômico", a companhia negocia a compra da Siderúrgica Latino-Americana, Silat, produtora de aços longos no Ceará, com capacidade instalada de 660 mil toneladas. A principal utilização dos produtos da companhia é na construção civil. Cabe destacar que a Gerdau possui uma fábrica na região, a 20 km da Silat, onde produz cerca de 160 mil toneladas/ano. Ainda segundo a matéria, o valor do negócio é da ordem de US$ 100 milhões. A Gerdau não se manifestou à respeito. De toda forma, os papéis da siderúrgica devem responder de forma positiva à novidade.

.

Braskem (BRKM5) terá audiência na NYSE - Foi agendada para o 17 de outubro uma audiência relativa ao recurso apresentado pela petroquímica, contestado a suspensão da negociação de suas ações e o início do processo de deslistagem das ADRs da companhia. Cabe lembrar que esse movimento decorre do não arquivamento do formulário 20-F de 2017 dentro do prazo estipulado pela reguladora do mercado norte-americano, a SEC. A novidade, porém, deve trazer pouca influência para os papéis da companhia, que vão continuar pressionados no curtíssimo prazo pelas incertezas derivadas da situação financeira delicada de sua controladora, a Odebrecht, pela suspensão das negociações com a LyondellBasell e também pelos potenciais desdobramentos do afundamento de solo em Alagoas.

.

Bons negócios

.

Coinvalores

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor