Advertisement

Crédito online já reavalia estratégias nos EUA

Provável recessão pode reduzir crédito e liquidez.

Mercado Financeiro / 15 Abril 2019 - 22:03

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Já temendo uma crise que pode trazer perdas crescentes de crédito, de liquidez e custos mais altos de financiamento, empresas de crédito online dos Estado Unidos como LendingClub, Kabbage e Avant estão reavaliando a qualidade dos seus empréstimos, assegurando financiamento de longo prazo e cortando custos.

Economistas consultados pela Reuters em março viram uma chance de 25% de recessão nos EUA nos próximos 12 meses. Mais recentemente, alguns executivos disseram que uma decisão do Federal Reserve, o banco central, de suspender o aumento das taxas de juros reforçou esses temores.

Os credores peer-to-peer (entre pares) e digitais surgiram em grande parte após a Grande Recessão de 2008.

Ao contrário dos bancos, que tendem a ter depósitos de baixo custo e mais estáveis, essas empresas de crédito online contam com financiamento do mercado, que pode ser mais difícil em tempos de estresse. Seus métodos de verificação também incluem muitas vezes a análise de dados não tradicionais, como o nível de educação dos mutuários. Embora as plataformas vejam isso como uma força, elas ainda precisam ser testadas em tempos de crise.

“Isso é muito importante para nós”, disse à Reuters Scott Sanborn, presidente-executivo do LendingClub, em entrevista, referindo-se à possibilidade de uma recessão. “Não é uma questão de ‘se’, é ‘quando’ e não está a cinco anos de distância.”

Sanborn e executivos de cerca de meia dúzia de outras dessas empresas online, que conversaram com a Reuters, disseram que o agravamento dos indicadores econômicos e as previsões os tornaram mais cautelosos. Suas preocupações são o mais recente sinal de que a crise dos EUA está próxima.

“Estávamos vendo economistas levantando alguns sinais de alerta, e estávamos seguindo os sinais do Fed e eles estavam se tornando mais brandos”, disse Bhanu Arora, o chefe de empréstimos ao consumidor do banco de Chicago, Avant. “Queríamos estar preparados e prontos.”

Para posicionar-se melhor para a recessão, a Avant apresentou um plano no final do ano passado que inclui o aperto das exigências de crédito para os segmentos identificados como de maior risco, disse Arora. Para ter certeza, os executivos disseram que ainda não estão vendo sinais gritantes de problemas em suas carteiras de empréstimos.

Uma desaceleração também está longe de ser certa. Na sexta-feira, o JPMorgan Chase, o maior banco do país em ativos, diminuiu os temores de uma recessão depois que registrou lucros trimestrais melhores do que o esperado, impulsionados pelo que descreveu como sólido crescimento econômico dos EUA.

Se uma desaceleração ocorrer, no entanto, ela separaria as empresas de crédito online mais fortes das mais fracas. “Todas essas plataformas diferentes dizem que podem verificar seus possíveis clientes de maneira única”, disse Robert Wildhack, analista da Autonomous Research. “Esta será a primeira chance que temos para ver quem está certo e quem poderia estar pegando atalhos.”

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor