Advertisement

Copa Airlines terá vôos diretos entre Rio e Panamá

/ 16 Agosto 2006
A Copa Airlines, um mês após inaugurar os vôos entre Manaus e Panamá e chegar a 19 freqüências semanais no Brasil, anuncia operações em mais um importante destino nacional. A Copa inicia, em 15 de novembro, vôos ligando o Rio de Janeiro para mais de 30 destinos na América Latina, Caribe e Estados Unidos por meio do estratégico Hub das Américas, na Cidade do Panamá. Serão cinco freqüências por semana, exceto às terças e quintas-feiras, operando a partir do Aeroporto Internacional do Galeão. Os vôos decolarão da capital fluminense às 5h52, com chegada no Aeroporto Internacional de Tocumen às 9h53. O retorno do Panamá acontece às 19h11, chegando ao Rio às 5h. A nova rota será operada com modernos Boeing 737-700 Next Generation, com capacidade para 124 passageiros (12 na classe executiva). A Copa Airlines chega a 24 freqüências semanais no país, o que representa um aumento de 250% na oferta em menos de dois anos. "Antes de 2005, tínhamos apenas sete vôos por semana no Brasil. Este crescimento demonstra toda a nossa confiança no mercado brasileiro", aponta Jorge Garcia Icaza, vice-presidente comercial da companhia. "Além do Rio de Janeiro, os novos vôos atenderão também ao Espírito Santo, Minas Gerais e até Pernambuco, cujos passageiros poderão usar o aeroporto do Galeão para suas conexões, sem precisar ir até São Paulo", acrescenta Alexandre Camargo, gerente geral da Copa no país. Nos últimos dois meses, a companhia panamenha inaugurou 39 novas freqüências na América Latina entre o Panamá e Montevidéu, Cancun, Manaus, Havana, Santo Domingo, Maracaibo e San Pedro Sula. Com mais estas opções, chega a 114 o número de vôos diários da companhia nas Américas. Air France-KLM Em julho de 2006, o Grupo Air France-KLM seguiu apresentando altas em seu desempenho mundial. Foram transportados 6,8 milhões de passageiros (alta de 5,6%). A ocupação ficou estável, em 85,2%. A receita proveniente do tráfego de passageiros por quilômetro teve alta de 4,9% e a oferta subiu 5%. Nas Américas, a ocupação ficou estável na alta marca de 90,4%. Foram registrados também aumentos de 2,3% na receita proveniente do tráfego de passageiros por quilômetro e de 3,3% na oferta de assentos. As rotas asiáticas também apresentaram desempenho expressivo em julho, com aumento de 1,2 ponto percentual na ocupação, que ficou em 89,6%. A receita proveniente do tráfego de passageiros por quilômetro aumentou 8,7% e a oferta 7,2%.