Conselho da Magazine Luiza aprova oferta de ações

Acredite se puder / 12 Setembro 2017

O Conselho de Administração da Magazine Luiza aprovou a realização de uma oferta pública de distribuição primária e secundária de, inicialmente, 24 milhões de ações ordinárias, que pode movimentar quase R$ 2 bilhões. Em fato relevante, a varejista informou que a operação pode gerar R$ 1,89 bilhão, tendo como base a cotação de fechamento dos papéis em 8 de setembro, de R$ 78,92. Ainda segundo a empresa, os recursos obtidos com a oferta de ações devem ser direcionados a investimentos em ativos de longo prazo, incluindo melhoria e expansão da malha logística, inauguração de novas lojas e aquisição de empresas de tecnologia com atuação no segmento digital. O processo de bookbuilding se iniciou nesta terça-feira e a negociação das novas ações ofertadas pela Magazine Luiza está prevista para 29 de setembro.

 

CVM altera instrução para fato relevante

A CVM editou a Instrução 590, alterando as normas que tratam de divulgação e uso de informações sobre ato ou fato relevante. Entre os destaques, a autarquia determinou as regras para anúncios feitos durante o horário de negociação. Neste caso, o diretor de Relações com Investidores da companhia que necessitar divulgar ato ou fato relevante poderá solicitar suspensão da negociação “pelo tempo necessário à adequada disseminação da informação”, informa o texto. Ainda conforme a CVM, o pedido sempre deverá ser feito simultaneamente às bolsas de valores e entidades do mercado de balcão organizado nacionais e estrangeiras em que os valores mobiliários de emissão da companhia sejam negociados. A instrução, que entra em vigor nesta terça-feira, também determina que a CVM, a bolsa e a entidade do mercado de balcão organizado poderão, a qualquer momento, exigir do diretor de Relações com Investidores esclarecimentos sobre a divulgação de ato ou fato relevante.

 

Nestlé compra fábrica de ‘bacon benevolente’

Bacon benevolente” e “presunto inofensivo” devem estar entre os novos itens vendidos pela Nestlé em breve. A empresa anunciou na última quinta-feira a aquisição da Sweet Earth, uma empresa californiana que fabrica itens como burritos e hambúrgueres a partir de plantas. Tofus, lentilhas, feijões e outras leguminosas são transformados em alternativas semelhantes à carne pela empresa, que congela o resultado e vende como refeições prontas. São 48 itens vendidos em mais de 10 mil lojas, entre eles as “salsichas, ovo e gouda sem carne” e os outros dois citados acima. Segundo a Nestlé, que pretende entrar imediatamente nesse mercado, o potencial financeiro da venda de proteínas veganas será de US$ 5 bilhões em 2020. Os termos financeiros dessa aquisição não foram divulgados.

 

CSN indica novo diretor

A CSN anunciou a indicação de Marcelo Cunha Ribeiro para diretor executivo de finanças a partir de 12 de setembro. A empresa não entrega ao mercado resultados financeiros auditados desde o final de 2016. Ribeiro é engenheiro de produção pela USP e possui MBA na Harvard Business School. Foi vice-presidente de Finanças da Restoque e membro de conselhos de administração da Oi, Estácio e BR Malls. Ele iniciou a carreira na GP Investments, em 2000, chegando à posição de diretor da área de private equity em 2013.

 

Suzano inicia produção

A Suzano anunciou que iniciou a produção e vendas de papéis sanitários, conhecidos como tissue, em fábrica em Mucuri (BA), e que o início da produção do produto na fábrica em Imperatriz (MA) está previsto para o quarto trimestre deste ano. O investimento total estimado é de R$ 540 milhões e considera capacidade total de produção de 120 mil toneladas anuais de tissue, sendo que a capacidade máxima de conversão coberta pelo projeto é de 60 mil toneladas anuais.

 

Volks vai fabricar mais carros elétricos

A Volkswagen anunciou um plano para ampliar sua fabricação de carros elétricos nos próximos anos e afirmou que pretende lançar 23 modelos totalmente elétricos até 2025 e investir 6 bilhões de euros na mobilidade elétrica nos próximos cinco anos. Em comunicado, destacou o lançamento do I.D.CROZZ no Salão Internacional do Automóvel em Frankfurt, que começa na quinta-feira. O novo modelo será um SUV de emissão zero que vai entrar em produção em 2020. “Vamos atualizar completamente nossa gama de veículos até 2020 e expandi-la para segmentos importantes”, afirmou o presidente do Conselho de Administração da área de veículos de passageiros, Herbert Diess.