Conselhinho livrará Tanure da multa de R$ 130,2 milhões da CVM?

A condenação foi de abuso de poder por desvio indevido de recursos do estaleiro Verolme-Ishibrás.

Acredite se Puder / 18:22 - 6 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Nelson Tanure comunicou ao mercado que vai recorrer ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o Conselhinho, contra a multa de R$ 130,2 milhões aplicada pela Comissão de Valores Mobiliários em processo julgado na terça-feira. A punição é equivalente a duas vezes a vantagem que obteve, atualizada pelo IPCA, abusando de seu poder de controle e realizando a transferência de R$ 32,44 milhões da Verolme para Phidias, empresa em que também era o acionista majoritário, cometendo infração prevista nos arts. 116 e 117 da Lei 6.404/76.

A condenação foi de abuso de poder de controle enquanto acionista majoritário do estaleiro Verolme-Ishibrás, pois a autarquia concluiu que houve desvio indevido de recursos do estaleiro, já em dificuldades financeiras, para outras empresas controladas por Tanure, que teria se beneficiado das transferências. Em comovente nota, Tanure afirma que sempre defendeu “os interesses da Verolme, investindo muitos recursos próprios para manter a empresa em operação”. E alega que, na época, a Verolme já enfrentava uma crise que havia começado nos anos 80 e durava muitos anos, causada pelos seus antigos donos.

Ângela Maria Pereira Moreira foi advertida por não ter agido com cuidado e diligência na aprovação das demonstrações financeiras da companhia Porém, Hortência Ferreira Fernandez terá de pagar R$ 180 mil pelo mesmo tipo de infração. A CVM não explicou o motivo de tal divergência. E José Carlos Torres Hardman foi multado em R$ 225 mil por se omitir em defender os interesses da empresa em detrimento ao favorecimento de sociedades sob controle comum do acionista controlador.

 

Xerox oferecerá US$ 27 bi pela HP

Depois de anunciar que vai vender a sua participação de 25% na Fuji Xerox, a joint venture entre a empresa e a japonesa Fujifilm, por US$ 2,3 bilhões, o The Wall Street Journal noticiou que a Xerox Holdings quer oferecer US$ 27 bilhões pela HP, num acordo que poderá juntar duas das maiores empresas norte-americanas no segmento de hardware para escritório. Embora não tenha havido proposta oficial, qualquer oferta vai avaliar a HP acima do valor de mercado. A Xerox tem uma capitalização de mercado de US$ 8,05 bilhões, menos de um terço dos US$ 27,27 bilhões da HP. No mês passado, a HP revelou que consta no seu plano de reestruturação a dispensa de 7 mil a 9 mil de um total de 55 mil colaboradores até ao final do próximo ano, para proporcionar uma economia de US$ 1 bilhão anuais.

 

Investidores continuam enganados em criptomoedas

Kleyton Alves anunciou no Instagram, na última terça-feira, que a A2 Trader, acusada de fazer pirâmide financeira, encerrou suas atividades no mercado. Como a plataforma não está mais acessível, os investidores ficaram revoltados e foram a sede da empresa em Natal (RN), quebraram a porta e saquearam o escritório. A A2 Trader prometia rendimento de 4% ao dia e milhares de pessoas não recuperaram seus investimentos.

Na última sexta-feira, o juiz Herivelto Araujo Godoy, da 8ª Vara Cível de Campinas, interior de São Paulo, determinou que a 3xBit, corretora de bitcoin, deixasse o imóvel usado como sede da empresa no Alphaville Empresarial. A decisão é referente a uma ação de despejo devido a atrasos no aluguel dos espaços. No dia seguinte, a assessoria de imprensa da corretora garantiu a Portal do Bitcoin que o motivo da mudança seria redução de custos e não fez a menor referência à inadimplência, nem ao grande número de demissões de funcionários.

 

CVM aumenta prazo da audiência pública

O Grupo de Trabalho da CVM para estudar medidas de aperfeiçoamento dos mecanismos de proteção aumentou o prazo da audiência pública para propor a redução da participação dos investidores e acionistas minoritários para abertura de ações judiciais.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor