Advertisement

Concurso para o melhor café de qualidade do mundo

Negócios Internacionais / 06 Agosto 2018

Estão abertas as inscrições para o principal concurso de qualidade de cafés especiais do mundo. Os produtores de grãos por via úmida, que são os cerejas descascados e ou despolpados/desmucilados, podem enviar suas amostras ao Cup of Excellence Brazil 2018 – Categoria Pulped Naturals até o dia 4 de setembro. Já os produtores de cafés naturais devem encaminhar seus lotes para o Cup of Excellence Brazil 2018 – Categoria Naturals até o dia 11 do mesmo mês. A competição é desenvolvida em parceria por Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e Alliance for Coffee Excellence (ACE).

Em 2017, foram registrados recordes expressivos nos concursos, que integram a grade de atividades do projeto setorial Brazil. The Coffee Nation. A competição destinada aos cafés produzidos por via úmida teve o maior lance por saca da história, equivalente a R$ 55.457,60 por cada volume de 60kg, e o maior preço médio da categoria Pulped Naturals, que correspondeu a R$ 5.431,09 por saca. O certame dos grãos produzidos por via seca registrou o maior valor pago por um café natural no mundo, de R$ 39.213,40 por saca, além do valor mais alto pago em reais na história do Cup of Excellence – Categoria Naturals: R$ 5.025,58 por saca.

A edição deste ano traz novidades. As inscrições são limitadas a uma por propriedade em cada categoria. Os produtores que possuem mais de uma fazenda, sítio ou chácara podem inscrever um lote por categoria de cada propriedade. O ano de 2018 também apresenta alterações em relação à qualidade. A partir de agora, o teor máximo de umidade dos cafés inscritos deverá se situar entre 11% e 12%, com as amostras que não atenderem a esse quesito sendo automaticamente desclassificadas.

As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.

 

Exportação de máquinas tem aumento de 17% este ano

As exportações brasileiras de máquinas e equipamentos somaram US$ 4,76 bilhões no primeiro semestre, 16,8% acima do valor registrado no mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados nesta terça-feira (31) pela Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

As exportações, em junho, chegaram a US$ 871,7 milhões, resultado 15,8% superior ao do mesmo mês de 2017. “Desde o ano de 2017, o mercado externo tem sido o canal utilizado pelos fabricantes de máquinas e equipamentos para manter suas atividades. Em 2018, as exportações passaram a ser responsáveis por 47% do total das vendas realizadas pelo setor”, informou a entidade em nota.

Mesmo com a desvalorização do real ao longo do ano, as importações tiveram forte alta. Em junho, as compras do exterior atingiram US$ 1,25 bilhão, 24,6% a mais do que no mesmo mês de 2017. No primeiro semestre, chegaram a US$ 7,11 bilhões, 17,5% acima do total registrado no mesmo período de 2017.

 

Las Vegas: 17 marcas de calçados brasileiras

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), por meio do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido pela entidade em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), levará 17 marcas brasileiras para expor na FN Platform, mostra que acontece em Las Vegas/Estados Unidos entre os dias 13 e 15 de agosto.

A analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Ruisa Scheffel, destaca que a mostra é frequentada por qualificados compradores, especialmente dos mercados da América do Norte e Central. Na feira de mesmo período do ano passado foram gerados US$ 6,3 milhões em negócios, porém com um número de participantes maior (31 marcas).

Segundo Ruisa, apesar do mercado apreensivo, especialmente por não saber os efeitos da guerra comercial travada entre Estados Unidos e China, existe uma expectativa positiva para a participação, tanto pela qualificação das marcas brasileiras que estarão apresentados suas coleções de primavera-verão, quanto pelas condições atuais do câmbio, que proporcionam a formação de um preço mais competitivo para o mercado internacional.

O mercado dos Estados Unidos é o segundo maior para o calçado brasileiro no exterior, tendo importado, somente no primeiro semestre de 2018, quase 5 milhões de pares verde-amarelos. “Também é um mercado que precisa ser trabalhado, especialmente para marca própria, já que a maior parte do embarcado para lá ainda é private label - quando no produto vai a etiqueta do importador”, ressalta, chamando atenção para a importância da manutenção da participação em ações naquele mercado para a promoção de marca.

Participam da FN Platform as marcas brasileiras Rider, Cartago, Ipanema, Zaxy, Schutz, Pampili, Boaonda, Carrano, Vicenza, Klin, Bibi, Capelli Rossi, Werner, Stephanie Classic, Kidy, Magia Teen e Petite Jolie.

 

Contato com o colunista: pietrobelliantonio0@gmail.com