Advertisement

Comércio carioca torce pelo frio para aumentar vendas

Segundo Aldo, do CDL, 'comércio precisa urgentemente se recuperar: Páscoa, Mães e Namorados não confirmaram expectativas de crescimento'.

Rio de Janeiro / 11:16 - 09 de Jul de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A onda de frio animou o comércio carioca que torce por um inverno mais rigoroso para aquecer as vendas e estima um crescimento de 2,5% se a temperatura realmente continuar esfriando. É o que mostra a pesquisa do Centro de Estudos do Clube dos Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio), que ouviu 250 lojistas do Centro e das Zonas Norte, Sul e Oeste.

Segundo Aldo Gonçalves, presidente do CDL-Rio, a onda de frio aumentou a venda de roupas de inverno e de produtos como botas, cachecóis, luvas, gorros e acessórios além de edredons, colchas e cobertores.

"O comércio precisa urgentemente se recuperar e cita como exemplo que todas as datas comemorativas no primeiro semestre - Páscoa, Dia das Mães e Dia dos Namorados - não confirmaram as expectativas de crescimento apontadas pelos institutos de pesquisas especializados em comércio varejista", explica Aldo.

A pesquisa mostra que para 70% dos lojistas as vendas melhoraram com a queda da temperatura, 30% apontaram como iguais às do ano passado. Dos comerciantes ouvidos 82% afirmaram que a mudança da temperatura influenciou bastante as vendas e que 62% da procura é por artigos do vestuário, como casacos, moletons e camisas de flanela de manga comprida, seguido de 38% por acessórios como meias de lã, cachecóis, segunda pele, luvas, toucas e cobertores.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor