Advertisement

Comércio varejista acelera recuperação

O comércio varejista nacional cresceu 2,6% nos oito primeiros meses do ano frente a igual período do ano passado. Houve aumento de...

Conjuntura / 11 Outubro 2018

O comércio varejista nacional cresceu 2,6% nos oito primeiros meses do ano frente a igual período do ano passado. Houve aumento de ritmo em relação ao acumulado de julho (2,3%). O resultado nos últimos 12 meses passou de 3,2% em julho para 3,3% em agosto. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE.

A receita nominal (não desconta a inflação do período) cresceu 4,4% no acumulado do ano e 7,6% sobre agosto de 2017. Nos últimos 12 meses, a alta é de 4%.

Em agosto, frente a igual mês de 2017, o comércio varejista avançou 4,1%, com cinco das oito atividades registrando aumento nas vendas. Os destaques positivos, por ordem de contribuição na formação da taxa global do varejo, vieram de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (5,5%), setor de maior peso na estrutura do varejo, seguido por Outros artigos de uso pessoal e doméstico (9,5%) e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (7,4%).

O IBGE calcula que o comércio cresceu 1,3% em agosto frente a julho, na série com ajuste sazonal, em que são levadas em conta as particularidades de cada mês, como, por exemplo, o número de dias úteis. O resultado compensou grande parte da queda de 1,5% acumulada nos últimos três meses. Nessa comparação, a receita cresceu 1,5%. Com isso, a média móvel trimestral (0,3%) reverteu o sinal negativo observado em julho (-0,5%).

Com avanço de 6,9% frente a agosto de 2017, o comércio varejista ampliado (inclui as atividades de Veículos e material de construção) registrou a 16 ª taxa positiva, a maior desde abril de 2018 (8,5%). A principal contribuição veio de Veículos, motos, partes e peças (15,9%), além de Material de construção, com avanço de 5,9%.

O varejo ampliado acumulou expansão de 5,6% de janeiro a agosto, avançando frente ao acumulado até julho (5,4%). O indicador acumulado nos últimos 12 meses passou de 6,5% em julho para 6,4% até agosto, o que aponta estabilidade no ritmo de vendas.