China precisará de mais 7.560 aeronaves nos próximos 20 anos

Airbus vê crescimento rápido no mercado chinês.

Mercado Financeiro / 22:43 - 11 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O tráfico internacional de aviões para a China quase dobrou ao longo dos últimos 10 anos. De acordo com a Previsão de Mercado Global da Airbus, a China deve precisar de 7.560 novas aeronaves nos próximos 20 anos.

Em entrevista publicada nesta segunda-feira pela agência Xinhua, a gigante da aviação Airbus disse que está mantendo uma parceria de longo prazo com a indústria de aviação chinesa e que vê um futuro brilhante para o mercado de crescimento rápido da China.

Guillaume Faury, CEO da Airbus, disse à Xinhua que a companhia desfruta de negócios com os parceiros na China por causa do ecossistema amigável à aviação. “Cada vez mais pessoas estão voando, (e) há muito potencial para voos dentro e fora da China. A Airbus está feliz em contribuir para a conectividade da China”, indicou.

A Airbus disse em um comunicado que assinou um memorando de entendimento sobre um maior desenvolvimento da cooperação industrial com o lado chinês na última quarta-feira em Beijing.

Segundo o comunicado, ambos os lados concordaram em tomar medidas práticas e efetivas para novas iniciativas relacionadas a aeronaves de corredor único e fuselagem larga da Airbus.

Uma joint-venture da linha de montagem final de A320 foi criada em Tianjin em 2008. É o terceiro local da linha de montagem final para as aeronaves de corredor único e o primeiro fora da Europa.

O projeto se tornou um grande sucesso, afirmou Faury, acrescentando que a companhia está antecipando um futuro brilhante porque “o crescimento é provavelmente ilimitado para a aviação na China”.

 

Entregas

 

Até o momento, 450 aeronaves da família A320 foram entregues de Tianjin aos clientes chineses e asiáticos da Airbus. A linha de montagem permanece focada em elevar sua produção para seis aeronaves por mês até o final de 2019, o que representa um aumento de 50% em comparação com o projeto original.

Além disso, as capacidades do A350 XWB serão estendidas no Centro de Completação e Entrega de Fuselagem Larga de Tianjin da Airbus no segundo semestre de 2020. O centro deve entregar sua primeira aeronave A350 de fuselagem larga em 2021 a partir de Tianjin, revelou o comunicado.

Faury disse que a Airbus transformou mais atividades locais como montagem de fuselagem e continuará a aumentar sua produção e montagem em Tianjin.

Ele assinalou que o desenvolvimento da indústria de aviação precisa de um ambiente aberto, e que a Airbus saúda as crescentes conexões e um relacionamento mais estreito entre a China e o restante do mundo, especialmente a Europa.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor