China planeja lançar missão para Marte por volta de 2020

Internacional / 11:21 - 22 de abr de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A China está planejando lançar sua primeira missão para o Marte por volta de 2020, anunciou hoje o diretor da Administração Espacial Nacional, Xu Dazhe. - A sonda deve orbitar ao redor do planeta vermelho, pousar e posicionar um dispositivo móvel em apenas uma missão, o que é muito difícil de alcançar - disse Xu em uma entrevista coletiva antes das celebrações no dia 24 de abril para marcar o lançamento do primeiro satélite do país há 46 anos. Xu revelou que a missão foi aprovada por autoridades centrais em janeiro. Destacando a importância e dificuldade da missão, Xu disse que, embora a China tenha enviado naves para as profundezas do espaço, "só com a conclusão desta missão de sonda do Marte a China pode dizer que iniciou a exploração do espaço profundo no verdadeiro sentido". Fim País quer se tornar potência aeroespacial até 2030 Ainda de acordo com Xu Dazhe, o país quer se tornar uma potência aeroespacial global até 2030. Xu afirmou, em coletiva de imprensa do Departamento de Comunicação do Conselho de Estado (gabinete chinês), que a China é um grande país procurando o desenvolvimento aeroespacial e visa se tornar uma potência aeroespacial verdadeira dentro de 15 anos, graças em parte ao 13º plano quinquenal para impulsionar o crescimento nesse setor. Embora a China tenha obtido grande progresso, "EUA e Rússia estão à frente de nós, e a Europa também tem tecnologia avançada", ressaltou Xu. A China completará projetos aeroespaciais atualmente em andamento até cerca de 2020, incluindo programas espaciais tripulados, sondas lunares, Sistema de Satélites de Navegação BeiDou e o programa de satélites de observação Gaofen, detalhou. Por volta de 2025, a China completará a construção da infraestrutura espacial civil nacional, acrescentou. Segundo um plano emitido no ano passado, o país construirá um sistema de infraestrutura espacial civil, incluindo sensoriamento remoto por satélites, comunicação e radiodifusão via satélites, e navegação e posicionamento através de satélites. Xu disse que o país compilará neste ano seu 13º Plano Quinquenal (2016-2020) sobre desenvolvimento aeroespacial e ciência espacial. Com informações da Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor