Cesar Maia evita discutir assuntos da cidade

Ex-prefeito do Rio de Janeiro prefere falar sobre conjuntura nacional e política internacional.

Decisões Econômicas / 15:59 - 21 de jun de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Vereador Cesar Maia

O vereador e ex-prefeito Cesar Maia (DEM) mantém seu corpo no plenário da Câmara do Rio e a cabeça voltada para assuntos distantes do parlamento municipal. No seu ex-blog, uma newsletter enviada diariamente para jornalistas, colaboradores e admiradores, Maia pai fala de vários assuntos, política internacional, conjuntura nacional, economia e até literatura. Mas não diz nada, absolutamente nada, sobre seu trabalho no Legislativo municipal ou as discussões que envolvem a cidade que governou por 12 anos. Disso ele só fala em época de eleição.

 

Biometria avança no interior

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro promove até o final do ano o cadastramento biométrico obrigatório em 35 municípios fluminenses. Entre eles estão Carmo, Cambuci, Cantagalo, Engenheiro Paulo de Frontin, Conceição de Macabu, Sapucaia, Sumidouro, Itaocara, Rio Claro, Mendes, Arraial do Cabo, Silva Jardim. O cadastramento biométrico também será ampliado em outras cidades, como a capital, Niterói e Duque de Caxias, onde o cadastramento já chegou a 52,42% dos 626.485 eleitores.

Deputado André Ceciliano

Alerj repassa verbas ao Estado

O deputado André Ceciliano (PT), presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), continua dando bons exemplos de gestão do dinheiro público. Ele anunciou que vai repassar R$ 150 milhões do orçamento anual da Casa para o Governo do Estado. O dinheiro será usado para melhorias nas áreas de segurança, saúde e educação.

Só na área de segurança, a Alerj vai custear nos próximos dois anos a contratação de mais de 3 mil policiais militares e civis, a compra de 30 novos blindados compactos, além de financiar reformas em quatro unidades do Instituto Médico Legal (IML) da Polícia Civil. Sob a gestão de Ceciliano, ano passado a Alerj economizou R$ 358 milhões e, neste ano, a meta é economizar R$ 400 milhões.

 

Baixada terá três novos hospitais

O governador Wilson Witzel, por sua vez, anunciou a construção de três hospitais na Baixada Fluminense: um hospital geral e dois oncológicos. Com mais de 3 milhões de habitantes e composta por 13 municípios, a Baixada conta hoje com apenas com três hospitais de grande porte, enquanto a capital do estado, com 6 milhões de habitantes, conta com 17 unidades de saúde dessa dimensão.

 

CPI do Acústico define calendário

Na Câmara Municipal do Rio, a CPI que investiga o desabamento de parte da estrutura do túnel acústico Rafael Mascarenhas definiu seu cronograma de trabalho. Presidida pelo vereador Reimont (PT, foto ao lado), a comissão vai convocar técnicos da prefeitura que possam esclarecer as condições do túnel antes do acidente e como era a rotina de manutenção e reparos. Os integrantes da comissão também vão realizar uma visita ao local do desabamento para entender possíveis razões que tenham levado ao acidente.

 

 

 

 

Comissão entra na polêmica do autódromo

A comissão formada na Alerj para acompanhar a construção do novo Autódromo do Rio, em Deodoro, quer ouvir os representantes do Consórcio Rio MotorSports, que será o responsável pela obra. Presidida pelo deputado Carlos Caiado (DEM), a comissão também quer ouvir o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e solicitar cópias do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e do Relatório de Impacto Ambiental (RIA). Ambientalistas são contrários à construção do autódromo, e os deputados querem saber até que ponto eles têm razão.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor