CCJ pede soltura de presos na Operação Furna da Onça

Placar na comissão foi de 5 a 2; CCJ também decidiu que os deputados ficam impedidos de exercer seus mandatos.

Rio de Janeiro / 12:36 - 21 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Em reunião fechada, a Comissão de Constitução e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) opinou nesta segunda-feira pela libertação de cinco deputados presos, conforme determinou a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia.

As informações são do portal G1.

Ainda de acordo com o jornal, foi elaborado um parecer e os membros votaram contra ou a favor.

O placar na votação da comissão foi de 5 - Márcio Pacheco (PSC), Rodrigo Bacelar (SDD), Max Lemos (MDB), Jorge Felippe Neto (PSD) e Carlos Minc (PSB) - a 2 - Luiz Paulo (PSDB) e

Dr Serginho (PSL) - pela soltura dos parlamentares. Na decisão, a CCJ também decidiu que os deputados ficam impedidos de exercer seus mandatos.

Amanhã, a votação ocorre no plenário da Casa.

Os deputados presos são André Corrêa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Luiz Martins (PDT), Marcos Abrahão (Avante) e Marcus Vinicius Neskau (PTB).

Todos os cinco foram presos na operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato, acusados de receber propina de empresas para favorecê-las em votações na Casa. Em março, a Mesa Diretora da Alerj decidiu, por unanimidade dos presentes na reunião, dar posse aos deputados presos.

 

Com informações da Alerj

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor