Casal Garotinho volta à prisão por R$ 25 milhões em propinas

Sérgio dos Santos Barcelos, subsecretário estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, também foi preso e será exonerado.

Rio de Janeiro / 22:36 - 3 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Matheus tiveram prisão preventiva decretada nesta terça-feira na operação Secretum Domus. De acordo com as investigações, os dois receberam R$ 25 milhões em propinas da empresa Odebrecht, resultado do superfaturamento de R$ 62 milhões nos contratos, que somaram quase R$ 1 bilhão para a construção de casas populares nos programas Morar Feliz I e Morar Feliz II, durante os mandatos de Rosinha, de 2009 a 2016, na Prefeitura de Campos, no norte fluminense.
A denúncia oferecida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro foi recebida com as medidas cautelares decretadas pelo juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Campos dos Goytacazes.
Os promotores de Justiça que atuaram nas investigações que levaram às prisões decidiram pela prisão preventiva para evitar que os dois pudessem interferir no andamento do caso. 
Além do casal, foram presos Sérgio dos Santos Barcelos – atual subsecretário estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos –, Ângelo Alvarenga Cardoso Gomes e Gabriela Trindade Quintanilha. 
“No que ficou apurado a solicitação das vantagens se dava em benefício de ambos [Rosinha e Anthony] e os outros três denunciados [Sérgio, Ângelo e Gabriela] figuravam como intermediários desse recebimento das quantias indevidas”, disse a promotora de Justiça, Ludmila Bissonho Rodrigues.
O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, determinou a exoneração do subsecretário Sérgio dos Santos Barcelos. O ato será publicado no Diário Oficial desta quarta-feira, informou o Governo do Estado, em resposta à Agência Brasil.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor