A caminho do nocaute

Política / 18 Abril 2017

Governo pisca pela 3ª vez e reduz idade mínima para mulher se aposentar

[caption id="attachment_575106" align="alignright" width="300"] Policiais civis quebram vidros e tentam invadir o prédio do Congresso[/caption]

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o projeto de reforma da Previdência vai diferenciar a idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres. “Não há definição ainda, na medida em que o relatório será apresentado amanhã (quarta-feira), mas a visão do relator é algo que se situa ao redor de 62 anos [ante 65 anos para os homens].”
É o terceiro recuo do Governo Temer na tentativa de conseguir aprovar a reforma, que é rejeitada por 93% da população. No início do mês, o governo admitiu cinco mudanças no texto: os que tratam de regras de transição, pensões, trabalhadores rurais, Benefício de Prestação Continuada e aposentadorias especiais para professores e policiais. Nesta segunda-feira, caiu a exigência de contri-buir 49 anos para ter aposentadoria integral.
A nova mudança vai constar do substitutivo elaborado pelo relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA). O parecer deve ser lido nesta quarta na comissão especial da Câmara que debate o tema.
Após protesto de policiais civis, na parte da tarde, Maia disse que vai reduzir em cinco anos a idade mínima para a aposentadoria dos policiais. Com isso a idade inicial passaria para 55 anos. Polici-ais chegaram a entrar no Congresso. No embate com a Polícia Legislativa, alguns vidros foram quebrados.
O deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força, da base aliada, criticou a idade mínima para aposentadoria: “O governo tem que continuar negociando para melhorar essa fórmula. Considero que 62 anos para mulheres é muito alto ainda, e 65 para homens, inaceitável.”