Cabral agora envolve a mulher no esquema de propina

Ex-governador disse ao juiz Marcelo Bretas que Adriana Ancelmo o ajudou na lavagem de dinheiro de propina recebida por fornecedores.

Rio de Janeiro / 00:57 - 11 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O ex-governador do Estado do Rio Sérgio Cabral prestou depoimento nesta segunda-feira ao juiz Marcelo Bretas e afirmou pela primeira vez que a esposa, Adriana Ancelmo, o ajudou na lavagem de dinheiro de propina recebida por fornecedores do estado. É a primeira vez que ele envolve diretamente a mulher.

“Confirmo a emissão de notas fiscais do escritório da minha mulher para atender uma demanda dessa empresa, Manekineko, para lavar recursos ilegais Foi trazido o pleito pela Adriana, e combinei entrega de dinheiro na casa de Thiago Aragão [sócio da ex-primeira-dama]”, disse Cabral.

No primeiro interrogatório após ter o acordo de delação com a Polícia Federal homologado pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, Sérgio Cabral foi ouvido sobre a acusação de ter lavado R$ 3,1 milhões da propina obtida junto a fornecedores do estado por meio da rede de restaurantes de comida japonesa Manekineko e o escritório da ex-primeira-dama.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor