Brasileiro empreende mais nos segmentos de moda e beleza

​​​​​​​Setor foi responsável por mais de 15% das aberturas de novos negócios.

Empresas / 22:42 - 9 de jul de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O primeiro semestre de 2019 foi marcado pelo varejo, de acordo com dados do Empresômetro, empresa especialista em inteligência de mercado. O comércio varejista foi responsável pelo maior número de empresas abertas, lojas de roupas e acessórios somaram mais de 85 mil unidades em todo o país.

Ao falarmos em moda e beleza, somados, são responsáveis por mais de 15% das mais de 15 milhões de empresas abertas durante os seis primeiros meses do ano.

Nossos números traçam o perfil empreendedor do país, além de mostrar a preocupação desses empresários em formalizar suas atividades, e isso é excelente para a nossa economia”, diz o CEO do Empresômetro, Otávio Amaral.

Mesmo sendo setores marcados pela desaceleração, segundo o Índice Cielo do Varejo Ampliado - ICVA, a aposta de muitos brasileiros ainda é o comércio.

São atividades relacionadas com a vida das pessoas. Roupas, alimentação e construção têm íntima ligação com todos, e por isso o empreendedor almeja crescer nesses ramos”, diz Amaral.

Mas, segundo o empresário, esses mesmos números mostram atividades que podem ser lucrativas para quem arriscar. “Vimos que algumas atividades são pouco exploradas, como o comércio exterior e a fabricação de medicamentos para uso veterinário, e podem ser bastante rentáveis para quem souber investir nessas áreas”, afirma Amaral.

O Empresômetro mapeou as regiões do país de acordo com o seu grau de empreendedorismo. Confira abaixo o potencial econômico e de investimento de cada uma das cinco regiões.

Na Região Sudeste do país foram abertas mais de 816 mil novas empresas em 2019, são mais de 53% do total dos negócios iniciados no primeiro semestre. O Estado de São Paulo, sozinho, tem uma parcela de 30,47% do total, seguido por Minas Gerais com 10,95% e Rio de Janeiro com 9,6%.

Na Região Sul, o Paraná é o estado que mais abriu empresas: foram 103 mil novos negócios, com destaque para obras em alvenaria, com 5,3 mil unidades.

O Estado da Bahia, maior na região, também foi responsável pelo grande número de novos empreendimentos, já somam mais de 72 mil, com as atividades de comércio varejista de roupas e cabeleireiros as mais procuradas pelos empreendedores baianos.

Os empresários da região formalizaram quase 62 mil novas empresas entre janeiro e junho deste ano, o Estado do Pará foi responsável mais de 47% desses negócios, com 29 mil unidades abertas. O destaque vai para os minimercados, atividades que aparece em segundo lugar no estado, com 1.339 negócios abertos.

Com mais de 134 mil novos negócios na região, destacam-se as atividades de moda e beleza, com o comércio varejista de roupas e acessórios as atividades mais buscadas pelos empresários, seguido pelos salões de beleza.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor