Advertisement

Brasil vai revisar medida antidumping envolvendo importação do Chile

Mercado Financeiro / 13 Setembro 2018

O governo brasileiro irá revisar o direito antidumping aplicado às importações brasileiras de cartões semirrígidos para embalagens procedentes do Chile, de acordo com circular publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União.

O Brasil fechou com a empresa chilena Cartulinas CMPC, exportadora de cartões semirrígidos para embalagens, revestidos, dos tipos duplex e triplex um compromisso de preços até 2006. Desde então, foram realizadas duas revisões do direito antidumping, com renovação do compromisso de preços.

O pedido de revisão da medida antidumping foi apresentado pelas empresas brasileiras Klabin, Suzano Papel e Celulose e Papirus Indústria de Papel.

A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) considerou “existirem elementos suficientes que indicam que a extinção do direito antidumping muito provavelmente levaria “à continuação ou retomada do dumping e do dano à indústria doméstica”.

“Além de haver indícios de que o produtor/exportador chileno continuou a praticar dumping durante a vigência da medida antidumping, há indícios de existência de substancial potencial exportador, que poderia ser redirecionado ao mercado brasileiro”, disse a Secex em circular.

Durante o período de revisão de 10 meses, prorrogável por mais dois meses em circunstâncias excepcionais, as medidas antidumping que expirariam nesta quinta-feira continuam em vigor, disse a Secex.