Advertisement

Brasil abriu 18% a mais de MEIs em 2018 que em 2017

São Paulo foi o estado em que mais se abriu MEI em 2018; Amapá o que teve maior redução.

Conjuntura / 26 Março 2019 - 15:28

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Segundo levantamento da plataforma MEI Fácil, em 2018 houve crescimento de 18% na abertura de CNPJs no Brasil, somando 2 milhões de cadastros feitos, um recorde por setor. A pesquisa ainda destaca as aberturas por região, o que auxilia ainda mais a análise dessa alta e seus focos de destaque.

De julho até dezembro do ano passado foram realizados mais de 1.018 milhões de novos cadastros, 21% mais que os quase 843 mil no segundo semestre de 2017. O crescimento revela um movimento consistente de negócios buscando formalização e os benefícios que um CNPJ MEI trazem. São Paulo e Rio de Janeiro se destacam como os locais com maior número de novos CNPJs: em dois anos foram abertos 1,41 milhão de MEIs nesses estados, totalizando 38% das aberturas no País.

O Estado de São Paulo chama atenção não apenas pelo seu crescimento absoluto, com mais de 290 mil mais MEIs, mas também em percentual. Foi o quarto estado que mais cresceu, 29% acima.

Minas Gerais também é destaque no crescimento no número de formalizações em 2018, comparado com 2017. O estado formalizou 191 mil microempreendedores em 2018, um crescimento de 103% versus 2017, o maior entre todos os estados da federação. Os setores de atividade com maior representatividade no estado são comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, além do setor de beleza.

Outras UFs que apresentaram crescimento expressivo de crescimento foram: Amazônia, com alta de 78%; Distrito Federal, com 32%; Paraná, com 28% e Pernambuco, com 26%.

Ao lado do Mato Grosso, o Amapá foi o estado com maior redução no número de aberturas de novos MEIs, tendo apenas 6.100 novos microempreendedores, 40% menos em relação ao ano anterior. O Mato Grosso (com queda de também 40%), no entanto, pode ser avaliado como um caso à parte. O estado foi o terceiro que mais abriu MEIs em 2017 (com 132 mil novos CNPJs) e também teve um primeiro semestre em 2018 forte (com 64 mil aberturas). A redução, portanto, é mais fruto de um 2017 forte e relativa desaceleração no segundo semestre de 2018.

Outro levantamento, o estudo "Tendências para franquias baratas 2019", realizado pelo Guia Franquias de Sucesso, apontou que os interessados em franchising estão de olho em franquias cada vez mais baratas.

Segundo o levantamento, a procura por franquias mais baratas, com investimento de até 10 mil reais, cresceu mais de 17 pontos percentuais no primeiro bimestre de 2019, em comparação com o mesmo período em 2018.

Neste ano, mais da metade (51%) dos interessados buscam por modelos nessa faixa de investimento. Em 2018, esse número era de 33,21%.

Em contrapartida, o levantamento também mostra que a disponibilidade de capital para investir nas franquias de maior valor também caiu.

Enquanto no ano passado 10,21% dos interessados em franquias baratas buscavam por oportunidades com investimento acima de 100 mil reais, em 2019 apenas 4,86% procuram por modelos nessa faixa.

Entre os interessados em franquias baratas em 2019, a grande maioria procura por modelos com investimento de até 100 mil reais: 95,14% declararam interesse nessa faixa de investimento.

O aumento da procura por franquias com investimento mais baixo também se reflete nas estratégias das franqueadoras, que estão se adaptando à tendência para continuar expandindo.

Dados divulgados pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) em fevereiro deste ano apontam que, em 2018, o número de franquias com investimento de até 90 mil reais cresceu 8%, chegando a 589 modelos com este perfil.

 

Perfil de interessados em franquias baratas - Ainda segundo o estudo, o perfil dos interessados em franquias baratas também mudou em 2019.

Neste ano, a proporção de mulheres interessadas nesse tipo de negócio cresceu e superou a de homens - são 56,6% de mulheres contra 43,4% de homens. Em 2018, os homens eram maioria, representando 55,1% do total de interessados.

Outro dado que chama a atenção é a faixa etária dos interessados em investir. O percentual de pessoas mais velhas buscando por franquias baratas cresceu: quase 70% dos interessados têm mais de 35 anos. Já o número de interessados mais jovens, com idade de 18 a 34 anos, caiu cerca de 10 pontos percentuais. Em 2018, 41,26% dos interessados tinham entre 18 e 34 anos; em 2019, esse total caiu para 30,5%.

O Brasil encerrou 2018 com 12,2 milhões de desempregados, segundo o IBGE. De acordo com levantamento do SPC, divulgado em fevereiro de 2018, 58,7% dos brasileiros sem emprego eram mulheres e a média de idade era de 34 anos. Em termos regionais, as mudanças são menos expressivas. A Região Sudeste continua com a maior participação entre os interessados em investir em franquias baratas (51,42%). Mas, em 2019 as participações das regiões Centro-Oeste e Norte apresentou crescimento, chegando a 11,34% e 6,88%, respectivamente.

O estudo aponta ainda os segmentos que mais têm despertado o interesse daqueles que buscam por franquias baratas em 2019.

As franquias de alimentação são as preferidas, citadas por 60,32% dos interessados. Logo em seguida aparece o setor de beleza e saúde, com 45,75%. O ranking dos segmentos mais buscados é seguido por serviços (37,25%), cosméticos e perfumes (28,34%), roupas e calçados (23,89%) e turismo e viagem (23,48%).

O estudo compilou dados referentes a uma base de 1.060 cadastros de interessados em franquias de baixo custo realizados no portal Guia Franquias de Sucesso, nos períodos de 1º de janeiro a 28 de fevereiro de 2018 e 1º de janeiro a 28 de fevereiro de 2019.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor