Bolsonaro tinha 34 opções, mas preferiu inovar

Além dos partidos políticos registrados, Brasil tem quase 80 na fila.

Decisões Econômicas / 12:53 - 14 de nov de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O presidente Jair Bolsonaro decidiu criar uma nova legenda e abandonar o PSL, todo mundo sabe. Mas ele tinha muitas outras opções. Além do PSL, o Brasil tem outros 34 partidos políticos registrados no TSE. Todos habilitados para disputar as eleições municipais do ano que vem. É verdade que em algumas legendas, como o PT e o PSOL, a chance de Bolsonaro entrar era zero. Resta saber se a nova legenda vai conseguir seu registro em tempo hábil para que os aliados de Bolsonaro possam disputar as eleições municipais do ano que vem. Vai ser um fim de ano tenso para muita gente!

 

Mais partidos que cervejarias artesanais

Além dos 35 partidos registrados, há outros quase 80 aguardando na fila à espera de autorização para começar a atuar. Se todos conseguirem, o Brasil vai ter mais partidos políticos do que cervejarias artesanais, que estão na modinha.

Prefeito Rodrigues Neves

Aliança política em Niterói

Em Niterói, o prefeito Rodrigo Neves (PDT), que está no segundo mandato, ainda não decidiu quem vai apoiar para a sua sucessão, mas já trabalha uma aliança política ampla para embalar a campanha de seu futuro pupilo. A ordem é aglutinar o maior número de partidos políticos possível. Esta semana ele conseguiu a adesão do PL ao grupo que já conta com PDT, PT, PV, SDD e MDB. Resta saber se o PL vai ter uma pasta para chamar de sua no governo municipal.

 

Apoio político em Paracambi

O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), que já foi prefeito de Paracambi, trabalha no município pela candidatura de Erivelton Dias para disputar a prefeitura local em 2020.

Marcelo Sicilliano

Vereador quer anistiar multas

Tramita na Câmara Municipal do Rio o projeto de lei do vereador Marcelo Sicilliano (PHS) que anistia multas de trânsito aplicadas de 22 horas até 7 horas do dia seguinte. Ele defende que a medida tem por objetivo garantir a segurança dos motoristas que viram alvo fácil de bandidos ao reduzir a velocidade junto a pardais e sinais de trânsito dotados de radar.

Desembargador Claudio de Mello Tavares

Advogados ficam livres dos paletós no verão

O Tribunal de Justiça do Rio vai dispensar o uso de terno e gravata nas dependências do Tribunal a partir de 1º de dezembro. A medida, que vai vigorar até 20 de março, beneficia juízes e advogados no período mais quente do ano. O ato normativo conjunto do presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Claudio de Mello Tavares, e do corregedor-geral da Justiça, desembargador Bernardo Garcez, levou em conta que o Conselho Nacional de Justiça definiu que cabe a cada tribunal a regulamentação dos trajes a serem utilizados em suas dependências.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor