Advertisement

Bens de Alckmin são bloqueados a mando da Justiça

Processo investiga tucano por improbidade administrativa por repasses da Odebrecht para sua campanha eleitoral em 2014.

São Paulo / 09:28 - 16 de Abr de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Justiça de São Paulo determinou nesta segunda-feira o bloqueio dos bens do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB). A medida foi tomada em consequência de um processo no qual o tucano é investigado por improbidade administrativa por repasses da Odebrecht para sua campanha eleitoral em 2014.

O juiz da 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, Alberto Alonso Muñoz, acolheu pedido do Ministério Público do estado feito em ação civil pública. Entretanto, a defesa do tucano pode recorrer.

De acordo com a denúncia, os valores arrecadados para a campanha não foram declarados à Justiça Eleitoral. O total seria de R$ 7,8 milhões (R$ 9,9 milhões atualizados).

Muñoz mandou bloquear o total de R$ 39,7 milhões dos investigados, incluindo Alckmin. Além dele, a medida atingiu Marcos Antônio Monteiro, da construtora Odebrecht, Luiz Bueno Júnior, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Fernando Migliaccio da Silva e Hilberto Mascarenhas Alves da Silva, servidores e executivos da empresa.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor