Advertisement

Banco da China emite bônus de moedas múltiplas

Os investidores estão mais dispostos a ter um entendimento mais profundo da Iniciativa do Cinturão e Rota.

Mercado Financeiro / 12 Abril 2019 - 20:11

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Banco da China (BOC, em inglês), um dos credores comerciais mais importantes do país, emitiu US$ 3,8 bilhões de bônus de moedas múltiplas para arrecadar fundos de baixo custo para projetos de médio e longo prazos ligados à Iniciativa do Cinturão e Rota, informou nesta sexta-feira o jornal China Daily.

Oito tipos de bônus foram emitidos em cinco moedas - dólar americano, euro, renminbi, dólar de Hong Kong e pataca de Macau - pelas filiais do BOC em Luxemburgo, Frankfurt, Sydney, Hong Kong e Macau.

De acordo com o jornal, todos os bônus serão listados nos mercados da Hong Kong Exchanges and Clearing Ltd, e alguns tipos dos bônus também serão listados na Bolsa Internacional Europa-China, na Bolsa de Valores de Frankfurt e na Bolsa de Valores de Luxemburgo.

Como o quarto maior banco comercial do país em ativos, o BOC emitiu bônus da Iniciativa do Cinturão e Rota cinco vezes em sete moedas desde 2015, num valor total de US$ 14,6 bilhões.

O interesse dos investidores internacionais, especialmente dos investidores europeus, nos bônus temáticos da Iniciativa do Cinturão e Rota cresceu significativamente nos últimos anos”, disse Liu Xinqun, gerente-geral do departamento de tesouraria do BOC.

Segundo a agência Xinhua, os europeus responderam por 83% dos investidores para os bônus denominados em euro emitidos na última rodada, um aumento de 47 pontos percentuais ante a primeira emissão em 2015.

Em comparação com as emissões anteriores, os investidores prestaram mais atenção aos projetos relacionados à Iniciativa do Cinturão e Rota do banco em termos das proporções de empréstimos inadimplentes, retorno do investimento, distribuição geográfica e principais direções do investimento, segundo Liu.

Hoje em dia, os investidores estão mais dispostos a ter um entendimento mais profundo da Iniciativa do Cinturão e Rota”, acrescentou Liu.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor