Bahrein cresceu ancorado por setor não petrolífero

Economia do país árabe avançou 0,84% no segundo trimestre deste ano, apesar de queda no segmento de petróleo.

Internacional / 13:42 - 8 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A economia do Bahrein teve crescimento real de 0,84% no segundo trimestre deste ano e de 1,76% em termos nominais em relação ao mesmo período do ano passado, segundo publicou a agência de notícias oficial do país, a Bahrein News Agency (BNA), com base em dados da Autoridade de Informação e Governo Eletrônico (IGA).

O crescimento real é quando é descontada a inflação e o nominal se refere a preços correntes. O relatório da IGA informa que o Bahrein segue em um crescimento equilibrado, com a economia em diversificação, e o resultado obtido com o avanço de setores não petrolíferos. O Produto Interno Bruto (PIB) do setor petrolífero registrou queda.

Já o PIB desvinculado da área de petróleo avançou 1,21% em termos reais e 3,16% a preços correntes sobre o segundo trimestre de 2018. Hotéis e restaurantes tiveram o melhor desempenho, com 8,66% de crescimento real. O setor de construção avançou 3,96% e o de transportes e comunicações 3,43%. As empresas do setor financeiro cresceram 2,62%, serviços educacionais privados avançaram 2,24% e serviços de saúde privados 2,44%.

Nem todas as áreas que fazem parte do setor não petrolífero, porém, tiveram bom desempenho. Serviços sociais e pessoais, além de atividades ligadas a eletricidade e água, cresceram pouco, abaixo de 1%. A indústria de transformação recuou 0,48% e as atividades imobiliárias e comerciais se contraíram 4,69% de abril a junho.

No segundo trimestre sobre os três primeiros meses do ano, a economia do Bahrein teve crescimento real de 3,39% e nominal de 4%. O Produto Interno Bruto do setor não petrolífero avançou, mas abaixo da média geral, com 1,83% de crescimento real e 1,92% em termos nominais. O país árabe sempre teve sua economia atrelada ao setor de petróleo, mas como a maioria dos países do Golfo, vem trabalhando pela diversificação.

 

Agência de Notícias Brasil-Árabe

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor