Advertisement

Austera Alemanha poderá ter deficit de € 25 bi em 2023

Valor representará menos de 1% do PIB, mas acendeu sinal de alerta.

Acredite se puder / 04 Fevereiro 2019 - 17:04

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O ministro alemão das Finanças, Olaf Scholz, está prevendo um deficit orçamentário de € 25 bilhões em 2023. Em documento para seus auxiliares alertou para a necessidade de cortar as despesas, pois o peso dos salários dos funcionários públicos aumenta, num momento em que a receita começa a baixar. O ministro preparou um relatório, que vazou para o jornal Bild. O deficit estimado seria inferior a 1% do PIB, mas representaria uma grande reviravolta na maior economia da Europa, que no ano passado registou um superavit de € 11,2 bilhões. Por causa das tensões comerciais entre a China e os Estados Unidos e o possível impacto de um Brexit sem acordo já levaram a Alemanha a reduzir as estimativas de crescimento deste ano para 1%.

Segundo o jornal alemão, neste contexto adverso, a queda das receitas fiscais criará anualmente um resultado negativo de € 5 bilhões. Na semana passada, todos os ministérios já foram avisados para manter sob controle os custos, pois a massa salarial dos funcionários públicos, que deverá passar para € 35 bilhões em 2020.

 

Aumentam as pressões sobre a Huawei

Deputados democratas e republicanos se juntam para solicitar providências contra a venda de equipamentos de energia solar da Huawei nos Estados Unidos, justificando que os produtos chineses são uma ameaça a toda a rede elétrica do país. Os congressistas alegam que os equipamentos solares da Huawei podem ser pirateados de forma a desacelerar ou mesmo paralisar o fornecimento de eletricidade nos Estados Unidos. A Huawei comercializa inversores que permitem que a eletricidade produzida por painéis solares seja transportada através da rede e é responsável por cerca de 20% de todos os inversores vendidos nos EUA para uso comercial em pequena escala. Esses inversores também fornecem informações a terceiros sobre a quantidade de eletricidade que passa por eles, o que levanta preocupações de que eles podem ser acessados e até mesmo desligados. Wang Yi, ministro dos Negócios Estrangeiros da China, classificou a solicitação como o resultado de uma “histeria” que deve ser travada imediatamente.

 

Nova forma de calote com criptomoedas

A QuadrigaCX, plataforma canadense criptomoedas, avisou que não consegue pagar US$ 190 milhões aos seus clientes, pois o seu fundador morreu e era a única pessoa que conhecia as senhas para o “cold storage”. Estranho é que Gerald Cotten, de 30 anos, não deixou instruções com ninguém e morreu inesperadamente durante uma viagem à Índia, em dezembro do ano passado. Trata-se de mais uma nova forma de enganação, pois com um volume de recursos elevados, como pode o fundador viajar para inaugurar um distante orfanato para crianças necessitadas e morrer se sabia que poderia ter complicações por causa da doença de Crohn? E um detalhe importante: o empresário morreu no dia 9 de dezembro, mas a QuadrigaCX somete revelou o seu falecimento quase no final de janeiro e apenas para comunicar que não tem dinheiro para pagar seus investidores.

Na solicitação de proteção contra credores, a plataforma apresentou a frágil explicação de que ninguém consegue ter acesso aos fundos armazenados numa unidade física sem ligação com a internet e onde são depositadas as moedas virtuais. No depoimento no Supremo Tribunal da Nova Escócia, a viúva de Cotten, Jennifer Robertson, reconheceu que a Quadriga CX deve aos clientes cerca de US$ 190 milhões. E acrescentou que apenas Cotten tinha a responsabilidade de “gerir os fundos e as moedas” e mais ninguém tinha acesso aos fundos armazenados.

 

Dólar fraco no mercado futuro

Enfraquecido no curto prazo, o dólar segue fraco no futuro e deverá testar o suporte dos R$ 3,679. Caso esse nível seja superado, será alcançada a mínima de outubro do ano passado, em R$ 3,601. No caso de repiques, poderia tentar retornar as resistências em R$ 3,821 e R$ 3,964.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor