ASCP: bolo tributário cresce 8% em 12 meses, puxado por impostos estaduais

Conjuntura / 11 Outubro 2017

O montante de tributos pagos pelos brasileiros teve crescimento nominal de 8% no decorrer de 12 meses (de 14 de setembro de 2016 a 2017), puxado pelos impostos estaduais. É o que informa levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

No último dia 14 de setembro, o Impostômetro da ACSP registrou a marca de R$ 1,5 trilhão arrecadado em tributos municipais, estaduais e federais. Já em 14/9/2016, o painel marcou R$ 1,39 trilhão, resultando no avanço de cerca de 8% na passagem de um ano para o outro.

Os impostos estaduais foram os que mais cresceram (10,2%). Já os tributos municipais avançaram 7,7% e, os federais, 7,1%.

- Além do efeito da inflação e da retomada da atividade econômica, a recuperação do consumo levou à melhora da arrecadação porque o ICMS é o principal imposto dos estados e incide fortemente sobre as vendas do varejo e serviços públicos como energia e gás - analisa Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Segundo ele, outros fatores foram os reajustes de alíquotas por parte de alguns estados; o crescimento do lucro de empresas; aumentos de salários e de número de contribuintes, o que incrementa a arrecadação da Previdência.

- A retomada das vendas de veículos ajuda a arrecadação do IPVA, lembrando que os automóveis têm alíquotas mais elevadas do que caminhões e utilitários - diz Burti.

O levantamento reúne dados nominais, ou seja, não se descontou a inflação do período. Foi encomendado pela ACSP ao Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

No dia 2, o Impostômetro registrou R$ 1,6 trilhão. Ainda em outubro, o painel mostrará a marca de R$ 1,7 trilhão.