As commodities nas exportações

Negócios Internacionais / 20:00 - 4 de jul de 2011

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

As commodities representaram 71% do valor total exportado pelo Brasil no acumulado de janeiro a maio deste ano. No mesmo período do ano passado a participação das commodities foi de 67%. As vendas ao exterior desse tipo de produto avançaram em ritmo mais acelerado do que as de manufaturados. Nos primeiros cinco meses do ano, a exportação de commodities cresceu 39,1% em relação a igual período de 2010, enquanto os embarques de manufaturados subiram 15,1%. O cálculo é da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) e não considera somente as commodities classificadas pelo Ministério do Desenvolvimento (Mdic) entre os básicos. Ela leva em consideração também as commodities classificadas como semimanufaturados e também as que, em razão de incorporarem alguma industrialização, estão enquadrados nas estatísticas oficiais como manufaturados. Entre as commodities industrializadas estão açúcar refinado, combustíveis, café solúvel, alumínio em barras, entre outros. Prorrogado incentivo às exportações O Senado Federal na semana passada, a prorrogação, por mais um ano, do Drawback Integrado Suspensão, mecanismo que permite às empresas exportadoras adquirir insumos importados ou produzidos no Brasil, com suspensão de IPI, PIS/Cofins, Imposto de Importação e ICMS. "Os senadores compreenderam que, neste momento, era importante aprovar uma medida na qual estão amparadas 25% das nossas exportações. É um incentivo para que produtos brasileiros cheguem ao mercado internacional de forma mais competitiva", disse o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. Enaex acontece em agosto A Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) está organizando a 30ª edição do Encontro Nacional de Comércio Exterior - Enaex, que ocorrerá nos dias 18 e 19 de agosto de 2011. O evento será realizado no Porto Maravilha, no Rio de Janeiro, no Armazém 2 do Pier Mauá, tendo como expectativa a presença de cerca de 2 mil participantes. Este é o mais tradicional e representativo evento de comércio exterior do Brasil. O encontro terá como tema central a competitividade da economia brasileira, constituindo espaço adequado para o debate de propostas objetivas e a interação entre o empresariado nacional e autoridades governamentais, visando a facilitar a adoção de políticas e ações em favor da expansão do comércio exterior do Brasil. Além deste tema, outros encontram-se em destaque, como: transporte e logística, agronegócios, financiamento, serviços, negociações e câmbio. Para mais informações, acessar o site www.enaex.com.br ou entrar em contato com a Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), no e-mail aebbras@aeb.org.br e/ou pelo telefone (21) 2544-0048. Exportações de carne bovina Apesar do embargo russo, as exportações de carnes brasileiras fecharam junho em alta se comparadas aos resultados de maio. A receita com os embarques de carne bovina in natura em junho aumentou 14,9% na comparação com o mês passado e chegou a US$ 383,9 milhões frente a US$ 384,2 milhões obtidos em maio. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve recuo de 0,1% O preço médio pago por tonelada caiu 5,5% na comparação com maio e 24% em relação ao mesmo período de 2010. O volume aumentou 21,6% em junho em relação a maio e atingiram 77,7 mil toneladas ante 63,9 mil toneladas exportadas no mês anterior. Na comparação com o mesmo período, porém, o recuo foi de 19,4%. Franquias brasileiras na China Comitiva organizada por Associação Brasileira de Franchising e Apex-Brasil, acompanhada por oito empresas brasileiras, estará em Macau, entre 8 e 10 de julho próximo, participando da Macau Franchise Expo. Integram a comitiva as empresas: Editora Lamonica, Wizard, Emagrecentro, Casa do Construtor, Mega Matte, Cia de Franchising, Global Franchising e a consultoria J2B. No dia 7, Ricardo Camargo, diretor executivo AB, convidado pelo IPIM (Macau Trade and Investment Promotion Institute) participará de um fórum sobre oportunidades de investimentos em franquias internacionais. Para derrubar embargo Uma missão técnica do Ministério da Agricultura do Brasil seguiu nesta segunda-feira, para a Rússia, onde vai expor às autoridades sanitárias e veterinárias locais as medidas tomadas pelo governo brasileiro em relação aos frigoríficos impedidos de continuar vendendo carne para o mercado russo. A comitiva é liderada pelo Secretário de Defesa Agropecuária do Ministério, Francisco Jardim, que aproveitará a oportunidade para apresentar a Sergei Dankvert, diretor do serviço veterinário russo Rosselkhoznadzor, uma lista de 140 frigoríficos brasileiros aptos a retomar as exportações de carne para a Rússia. Bons negócios na Venezuela As 20 empresas brasileiras que participaram da Missão Empresarial do Brasil à Venezuela, organizada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), nos dias 28 e 29 de junho em Caracas (Venezuela), estimam negócios de US$ 30 milhões com o governo venezuelano para os próximos 12 meses. Moda carioca em Dubai A Sta. Ephigênia, grife de moda feminina do Rio de Janeiro, exportou seus vestidos para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. De acordo com Luciano Canale, estilista e proprietário da grife, a venda foi realizada durante participação da empresa no showroom de moda do Grupo Hotel, em São Paulo. Os produtos enviados para lá foram vestidos. Ele conta que, além da venda feita a Dubai, a empresa exporta para Angola, Alemanha e Portugal. As vendas no exterior são principalmente de peças das coleções voltadas para o verão. Cargas no Porto de Santos A movimentação de cargas no Porto de Santos registrou alta de 0,2% no total acumulado até maio, acusando novo recorde para o período. O resultado reflete a alta de 11,2% nas importações, em contraste à queda de 5,3% nas exportações, bem impactadas pela redução de 17,5% em maio, o que empurrou o total mensal para uma retração de 12%. As cargas importadas registraram aumento de 0,3% no mês. Com o total apurado até maio e considerando a estimativa para os próximos meses, Santos deve encerrar o ano com 100 milhões t, atingindo incremento de quase 3,5%. A redução nas operações de granéis sólidos, notadamente do açúcar, pode, no entanto, forçar a revisão desse número. Antonio Pietrobelli editor@exportnews.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor