As 3 previsões mais furadas de 2019

E o Oscar vai para…

Fatos e Comentários / 19:19 - 14 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Final de ano, início de ano, é tempo de renovar promessas. No caso da economia, lançar projeções que passarão longe da realidade. O levantamento a seguir mostra as previsões feitas por economistas do mercado ou de entidades empresariais em dezembro de 2018 e janeiro de 2019 para o ano que se iniciava:

 

1 – Economia (PIB)

O crescimento do Produto Interno Bruto de 2019 ainda não foi divulgado pelo IBGE. O IBC-Br, calculado pelo Banco Central, mostrou crescimento de modesto 0,89%. Os mais otimistas, hoje, não falam nem em repetir a mediocridade do Governo Temer, com elevação de 1,3%.

A Confederação Nacional da Indústria estimava para 2019 alta de 2,7%, podendo alcançar até 3%.

A FecomercioSP apostava em elevação de 3%.

O Boletim Focus (do mercado financeiro) de 28 de dezembro de 2018 jogou a estimativa para 2,55%.

Mas o Oscar vai para José Márcio Camargo, economista da Genial Investimentos, interlocutor frequente de Paulo Guedes, que acreditava em um avanço de 3,5% na atividade econômica em 2019.

 

2 – Dólar comercial – R$ 4,01

Alessandra Ribeiro, economista e sócia da Tendências Consultoria, projetou dólar no fim de 2019 cotado a R$ 3,75.

Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados, projetou R$ 3,80.

O Boletim Focus estimava em R$ 3,80.

O vencedor do Oscar foi o banco Credit Suisse, que acreditava que, com Bolsonaro eleito, o dólar poderia cair para abaixo de R$ 3,50.

 

3 – Produção industrial – queda de 1,1%

Para a CNI, a indústria, com expansão de 3%, lideraria o crescimento em 2019

O Boletim Focus, mais radical, estimava que a produção industrial cresceria 3,19%

Os dois dividem o Oscar, pela magnitude do erro.

 

Não é motivo para ninguém se inibir. Começa o ano, e novas previsões são lançadas, pelos mesmos atores. Sempre se poderá culpar o coronavírus.

 

Perdidos

Do Twitter do professor Marcio Pochmann: “Ata do Cupom revela que, para o Banco Central, a taxa básica de juros do país (Selic) pode aumentar, diminuir ou se manter estável. Em síntese, a equipe econômica do Governo Bolsonaro não tem certeza nem sobre o curto prazo da economia. Imagina se perguntar sobre o longo prazo.”

 

Evitar perdas

As medidas extrajudiciais que desafogam o Judiciário, agilizando os processos de pessoas físicas e jurídicas, ganham espaço. Com isso, os cartórios estão cada vez mais movimentados. A lei permite a realização de inventários, partilhas, separação e divórcio consensuais sem a necessidade do processo judicial, por escritura pública. Isso é possível se todos os interessados forem maiores e capazes e concordarem com a forma de dividir os bens.

A instituição do inventário fora do Judiciário veio para agilizar e baratear esse procedimento, inclusive, no Rio de Janeiro, já é possível fazer inventário extrajudicial nos casos em que há testamento, o que antes não era permitido”, explica a advogada Luciana Gouvêa, diretora da Gouvêa Advogados Associados.

Ela salienta que o inventário na justiça, além de acarretar desgaste nas relações dos envolvidos, contribui para a dilapidação do valor do patrimônio, pois os bens acabam sofrendo com o passar do tempo, deterioram e muitas vezes nem servem mais para uso.

 

Menor que Temer

O índice calculado pelo BC para tentar adivinhar o PIB marcou alta de 0,89% para a economia em 2019. Em 2018 mostrou 1,15% (o PIB oficial, do IBGE, cresceu 1,3%); em 2017, 1,04% (1,3% IBGE); em 2016, queda de 4,34% (-3,3%). Guedes e cia. estão prestes a marcar mais 1 gol contra.

 

Rápidas

A Universidade Corporativa do Administrador (UCAdm) realiza, 4 de março, o evento “Café da manhã em debate”, no auditório do Conselho Regional de Administração (CRA-RJ), para discutir a importância dos métodos de consultoria de organização. A palestra será realizada por Wagner Siqueira. Inscrições aqui *** Neste sábado, as empresas ligadas à Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) de São Paulo reforçam o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. Haverá vacinação em estações do Metrô e da CPTM e também em terminal da EMTU/SP *** O “Simpósio Temático 34 – Militares na História do Brasil: Ontem, Hoje e Perspectivas”, que ocorrerá no XIX Encontro de História da ANPUH-Rio, 13 a 17 de julho, está com inscrições abertas.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor