Armas nucleares: Putin pressiona EUA a apoiar extensão de tratado

Moscou e Washington assinaram o tratado em 2010, que estipula os limites para o número de várias armas estratégicas obtidas por ambos.

Internacional / 12:45 - 14 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O presidente russo, Vladimir Putin, alertou os EUA que se recusar a estender o Novo Tratado Estratégico de Redução de Armas (Novo Start) traria mais perigos e incertezas à segurança mundial, afirmou o Kremlin neste domingo.

"O tratado Novo Start é realmente o único tratado que temos para nos impedir de voltar a uma corrida armamentista em larga escala", disse Putin em entrevista à RT Arabic, Sky News Arabia e Al-Arabiya, de acordo com uma transcrição do Kremlin.

Putin observou que o tratado, que expira em 2021, serve para reduzir e limitar ainda mais toda a gama de armas ofensivas estratégicas, incluindo lançadores de mísseis balísticos intercontinentais de combate terrestre, marítimo e aéreo.

"Para garantir que seja prorrogado, precisamos trabalhar nisso agora", disse Putin.

O presidente disse que a Rússia já apresentou suas propostas ao governo dos EUA, mas ainda não recebeu a resposta deste último.

Ele expressou preocupação que Washington ainda não tenha se decidido sobre a necessidade de estender o tratado ou não, o que não é um sinal positivo para o futuro do pacto.

"Se esse tratado não for estendido, o mundo não terá meios de limitar o número de armas ofensivas, e isso é uma má notícia", disse Putin, acrescentando que "o mundo será menos seguro e um lugar muito menos previsível".

Moscou e Washington assinaram o tratado em 2010, que estipula os limites para o número de várias armas estratégicas obtidas por ambas as partes. O contrato pode ser prorrogado por no máximo cinco anos com o consentimento dos dois países.

 

Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor