Apoio à reforma vai só até a página 3

Mudanças na Previdência prejudicam os eleitores e os próprios parlamentares.

Fatos e Comentários / 20:12 - 28 de mar de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Análises rasas, de uma imprensa que tem interesses financeiros envolvidos, devem ser encaradas com dois pés atrás, ainda mais no caso da reforma da Previdência. O problema do Governo Bolsonaro no Congresso não se resume à dificuldade de articulação e à criação de um clima beligerante para chamar atenção.

O que dificulta a tramitação da emenda é a resistência dos parlamentares às propostas, que prejudicam eles próprios e seus eleitores. Tirando milionários como Paulo Guedes, que ganharão com as mudanças, todos os brasileiros perdem.

Declarações de apoio, como a do PSL, que fechou questão a favor da reforma, são apenas espuma. O diabo, todos sabem, mora nos detalhes. Integrantes da bancada do partido do presidente já declararam desejar mudanças em pontos que atendam a seus interesses e a suas bases. Inclusão das guardas municipais nas mesmas regras dos policias militares e defesa da aposentadoria rural são algumas delas.

À medida que as propostas são conhecidas pela população, maior a oposição à reforma, que mexe com quem está entrando no mercado de trabalho, com quem já contribui há alguns anos, com quem já está prestes a se aposentar e com quem já recebe pensões.

Não à toa, os 13 partidos que divulgaram nota de apoio à reforma, desde que retirado o bode da sala – o fim do BPC – e mantida a aposentadoria rural, assinalaram que não aceitam tirar a Previdência da Constituição. A proposta mal começou a andar no Congresso e já sofre de desidratação.

 

Sem-conta

Aproximadamente 1,7 bilhão de pessoas adultas não têm contas bancárias. Apesar de ser um número 15% inferior ao de 2014, ainda é impressionante. A maioria dos “desbancarizados” estão na China (225 milhões), Índia (190 milhões), Paquistão (100 milhões) e Indonésia (95 milhões). O que não é surpresa, pois os dois primeiros são os países com maior população, e os outros dois também são muito populosos.

Mas também estão na cabeça da lista Nigéria, México e Bangladesh. Nestes sete países está quase metade dos sem-banco – ou melhor, sem-conta. Até nos Estados Unidos há 8,4 milhões de “desbancarizados”.

 

Em defesa do FGTS

O Instituto Fundo de Garantia do Trabalhador (IFGT) lança no próximo dia 2 a campanha de abaixo-assinado “Não ao fim do Fundo de Garantia do trabalhador aposentado na reforma da Previdência”. Mario Avelino, presidente do IFGT, explica que o objetivo é sensibilizar os deputados federais e senadores para não aprovarem a proposta que fere os direitos constitucionais dos trabalhadores. Atualmente, são 5,2 milhões que se aposentaram e continuam trabalhando.

A adesão estará disponível em fundodegarantia.org.br

 

Embraer no mar

A Embraer deixa os céus brasileiros, mas assume posição na água. O Consórcio Águas Azuis, formado pela thyssenkrupp Marine Systems, Embraer Defesa & Segurança e Atech (subsidiária do Grupo Embraer), foi selecionado pela Marinha do Brasil para a construção de quatro navios de defesa no Programa CCT – Corvetas Classe Tamandaré – como concorrente preferencial. As empresas formarão uma sociedade de propósito específico (SPE) para a fase de execução do programa.

 

Início do fim

A comunicação de Jair Bolsonaro é muito deficitária, não tem um objetivo claro e não consegue articular com as diversas camadas da sociedade”, ressalta Gabriel Rossi professor de marketing da ESPM. “Se a reforma da Previdência não passar, pode-se considerar o fim do governo”, sentencia.

 

Para privilegiados

A promessa de incluir os brasileiros no programa de visitante frequente, feita pelo presidente norte-americano Donald Trump, já havia sido anunciada por Barack Obama, em 2015. Mas Dilma Rousseff recusou, pois os gastos com o desenvolvimento de uma plataforma para troca de dados com os EUA atingiriam R$ 500 mil, para beneficiar apenas 1,5 mil brasileiros de alta renda.

 

Pegadinha

Serginho Mallandro caiu na... RÁ! Piramidinha do malandro. É que ele era um dos clientes da JJ Invest, cujo dono, Jonas Jaimovick, sumiu do mapa. Somos fãs do Serginho, mas... Salci Fufu. E em tempo: Jonas era brasileiro de bem nas redes sociais. Agora, de bem e de bens.

 

Rápidas

Henrique Luz é o novo presidente do conselho de administração do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) *** No próximo dia 7, o mundo comemora o Dia da Saúde. O Shopping Nova Iguaçu organiza a Semana da Saúde, de 1 a 7 de abril *** Nesta sexta-feira ocorre o ITC Rio, no Museu do Amanhã. O evento da consultoria Deloitte debaterá temas que vão de inovação a parceiras público-privadas.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor