Advertisement

Após notícias desencontradas, a multinacional de agronegócios Bunge confirma pedido para IPO de usinas de cana-de-açúcar no país

Empresas / 15 Maio 2018

A trading global de commodities Bunge (multinacional de agronegócio e alimentos de origem holandesa) comunicou nesta terça-feira (15) que submeteu o pedido para uma potencial oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) referente ao seu negócio de usinas de cana-de-açúcar no Brasil, a Bunge Açúcar & Bionergia.

Na semana passada, fontes ouvidas pela agência Reuters disseram que a empresa já teria contratado bancos para se preparar para uma listagem. As unidades de investimento seriam as dos bancos JPMorgan, do Itaú Unibanco e do Santander Brasil. A informação ainda não foi confirmada.

A tentativa da companhia de se desfazer de alguns ativos nos últimos anos no Brasil não foi bem-sucedida. A trading tentou vender suas oito usinas brasileiras de açúcar e etanol por quatro anos, mas um processo separado de venda não seduziu investidores estratégicos ou financeiros. Segundo algumas análises, o excesso de açúcar global teria derrubado os preços e tornando difícil para as usinas obter lucro.

A divisão de açúcar e bioenergia da Bunge seguiu perdendo dinheiro no primeiro trimestre de 2018, levando a empresa a cortar sua previsão para o faturamento da unidade este ano em US$ 10 milhões.

No Brasil, a Bunge é a principal empresa do ramo agro-alimentar e a terceira maior exportadora do país. Comercializa e processa grãos como (soja, trigo e milho), produz alimentos (óleos, margarinas, maioneses, azeites, arroz, atomatados, farinhas e pré misturas para bolos), atua em serviços portuários e de logística e produz açúcar e bioenergia.

Financiamento para as dívidas

A Bunge anunciou na semana passada durante a teleconferência de resultados do primeiro trimestre que sua divisão açucareira amargou prejuízo de US$ 20 milhões no primeiro trimestre, maior que a perda de US$ 11 milhões registrada no ano anterior. O CEO da companhia, Soren Schroder, disse que empresa reduziu a projeção para os lucros antes de juros e impostos da unidade para o ano cheio para US$ 40 milhões a US$ 60 milhões, contra uma projeção anterior de US$ 50 milhões a US$ 70 milhões.

A empresa com sede em White Plains, Nova York, anunciou no comunicado sobre os resultados que a unidade açucareira estaria “em uma posição em que o negócio poderia operar de forma independente”.