Ano Novo chinês pode atrasar importações

Fluxo deve voltar ao normal a partir da próxima semana, estabilizando de acordo com a demanda dos portos e aeroportos.

Internacional / 14:56 - 21 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Diferente do Ocidente, o Ano Novo chinês é comemorado de acordo com a lunação em consonância com a posição do Sol, e neste ano a data da virada será no próximo sábado, dia 25 de janeiro. Esse período pode apresentar inúmeros reflexos no comércio exterior, com ênfase no Brasil, já que a China é atualmente um dos principais importadores do país, com inúmeras empresas dependendo diretamente dos produtos chineses, como insumos e maquinários. O fluxo de cargas nesse período é menor, o que pode comprometer importações.

O mercado internacional representa grande parte da economia chinesa, considerada uma das maiores potências mundiais. O país ocupa o topo do ranking de exportação e está entre os três maiores importadores do mundo, "por isso é recomendado antecipar negociações com o país, para assegurar prazos e garantir suprimentos. Tanto as operações portuárias quanto voos de cargas sofrem alterações durante esse período", explica a sócia-fundadora da Ativo Soluções em Comércio Exterior, Samanta de Souza Brito.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor