Análise Fundamentalista - Panorama Semanal

Opinião do Analista / 17 Julho 2017

Top Picks - A principal movimentação da carteira é a troca de Itaú por Itausa, motivada principalmente pelo desconto atual de 28% da Holding em relação ao banco. Historicamente, esse desconto fica em torno de 20-22%, o que nos leva a acreditar que ITSA possa outperformar ITUB nas próximas semanas. Além dessa troca, optamos por realizar parte da posição de AES Tietê, após a performance satisfatória no mês de julho. A posição foi realocada para Lojas Americanas.

 

VISÃO MACROECONÔMICA

Retrospectiva

Destaques da semana foram a aprovação da Reforma Trabalhista,, e a condenação do ex-presidente Lula pelo juiz Sergio Moro. Também foram notícias os dados de atividade mais fracos do que o esperado. No exterior, fala de Yellen tranquilizou investidores.

 

Perspectiva

Semana marcada pelo início do recesso parlamentar que dura até agosto, pode ter a nomeação de novos ministros para a Cultura e a Transparência, em paralelo o IPCA-15 de julho deve trazer nova deflação. No exterior, decisões de Bancos Centrais no holofote, com Banco Central Europeu e Banco do Japão decidindo sobre política monetária. Ainda no exterior, nova rodada de negociação do Brexit.

 

Top Picks: Portfólio Sugerido

Itausa (ITSA4) - A Itaúsa é uma holding pura e foi constituída para centralizar as decisões financeiras e estratégicas de um conjunto de empresas, propiciando-lhes melhores condições de expansão. Operando nas áreas financeira e industrial, a Itaúsa mantém ainda relevantes instituições de caráter social. As principais empresas controladas pela Itaúsa se destacam nos diversos setores de negócios a que se dedicam: Itaú Unibanco Holding S.A. e suas controladas Banco Itaú e Banco Itaú BBA, no segmento financeiro, e Duratex, Itautec e Elekeiroz, líderes de seus respectivos ramos industriais.

 

B3 (BVMF3) - A Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros é líder na América Latina, sendo a principal instituição brasileira de intermediação para operações no mercado de capitais. A companhia desenvolve, implanta e provê sistemas para negociação de ações, derivativos de ações, derivativos financeiros, títulos de renda fixa, títulos públicos federais, moedas à vista e commodities agropecuárias. Acreditamos que a empresa detém e deverá manter no curto, médio e longo prazo uma participação bem consolidada nas plataformas de negociação e pós-negociação de ativos financeiros, evoluindo no processo de integração verticalizada de seus negócios, além de captar importantes sinergias da combinação de negócios com a Cetip. Além disso, o alto beta do ativo com relação ao Ibovespa é uma boa forma de se expor ao maior fluxo internacional, em caso de melhora nas expectativas com relação ao novo governo. Apesar do valuation seguir levemente acima do nível histórico (~15x P/E Fwd nos últimos quatro anos), acreditamos que existem muitas sinergias para serem incorporadas da combinação com a Cetip. O dividend yield continua em um patamar atrativo, estimado em ~4,1% em 2017e.

 

Vivo (VIVT4) - A Telefônica Brasil é a maior empresa de telecomunicações do país, com mais de 97 milhões de clientes, sendo aproximadamente 73 milhões apenas na operação móvel, na qual detém o maior market share do segmento em âmbito nacional (~28,4%), e cerca de 24 milhões na operação fixa. A Telefônica Brasil atua na prestação de serviços de telefonia fixa no Estado de São Paulo e telefonia móvel em todo o território nacional e conta com um portfólio de produtos completo e convergente (voz fixa e móvel, banda larga fixa e móvel, ultra banda larga). A compra da GVT deve continuar aumentando a receita consolidada, principalmente em clientes com maior retorno projetado. Em termos de valuation, ativo negocia a um múltiplo acima do nível histórico, mas com um nível de dividend yield estimado bastante atrativo para 2017 e 2018. Aliado a isso, a empresa tende a se beneficiar do processo de consolidação que o setor atravessa.

 

AES Tietê (TIET11) - A AES Tietê está entre as maiores companhias privadas de geração de energia do país, atuando desde 1999. A empresa possui nove usinas e três pequenas centrais hidrelétricas no Estado de São Paulo que, juntas, somam 2.658 MW de capacidade instalada. Isso representa 7,6% da capacidade estadual, e mostra que a empresa é capaz de abastecer uma cidade de quase 20 milhões de habitantes em um ano. Em termos de perfil do negócio, a empresa apresenta forte geração de caixa, além de satisfatória previsibilidade nos resultados. Duas de suas principais características são o alto retorno sobre o capital (ROIC esperado para 2017 superior a 20%) e farta distribuição de dividendos. A empresa apresenta patamar de alavancagem bastante reduzido, sustentando a expectativa de manutenção do elevado patamar de distribuição dos resultados aos acionistas.

 

Raia Drogasil (RADL3) - A combinação da fusão de 2011 entre a Droga Raia e a Drogasil originou a maior rede de farmácias brasileira, e a sexta maior varejista brasileira, com 1.457 lojas espalhadas em 17 estados, configurando uma cobertura de 89% do mercado, processo consolidado em mais de 192 anos de história. A empresa possui 26.720 funcionários e tem atualmente 12,6% de market share do Brasil, com destaque para 24,9% do market share em São Paulo, onde possui 838 lojas. Seu mix de vendas é composto por 12,3% de produtos de perfumaria, 21,2% em OTC, 25,4% em genéricos, 24,2% em produtos de marca própria (Needs, B-Well, Triss e Pluii), e o restante em serviços diversos. O grupo RD possui também a Farmasil, a Univers e a 4Bio, além de plataforma de venda online. A empresa segue sua estratégia de expansão no Brasil, com a marca Drogasil entrando em novos mercados na região Nordeste (Ceará, Piauí, Maranhão) além da inauguração esperada ainda para 2017 de um centro de distribuição na Bahia.

 

Cemig (CMIG4) - A Cemig atua nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e soluções energéticas. O Grupo Cemig é constituído por 200 empresas e 17 consórcios. É controlado por uma holding, com ativos e negócios em vários estados do Brasil. Possui, também, investimentos em distribuição de gás natural, transmissão de dados. A Cemig é o maior grupo de distribuição de energia do país, com papel de destaque em Minas Gerais e Rio de Janeiro através da Cemig Distribuição S.A (Cemig D) e Light S.A. (Light), atendendo a mais de 10 milhões de consumidores. Atualmente, a Companhia é o maior grupo de transmissão e distribuição de energia elétrica e o terceiro maior em geração, atuando em Minas Gerais e outros 22 estados brasileiros e no Distrito Federal.

 

Lojas Americanas (LAME4) - Lojas Americanas é uma das mais tradicionais redes de varejo do país. Com mais de 80 anos de vida, a empresa conta com 948 lojas nas principais cidades do país e com quatro centros de distribuição, em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Uberlândia, atuando também no comércio eletrônico, representado pela B2W - Companhia Digital. A empresa tem um plano bastante interessante de crescimento via abertura de lojas, o 80 anos em 5, onde a empresa planeja abrir 800 lojas em cinco anos. Fora isso, a companhia é um dos ativos mais resilientes no varejo, com tíquete médio baixo (R$ 32), não necessita de concessão de crédito nem em parcelamento para incrementar suas vendas.

.

Disclaimer

Celson Plácido - Analista, CNPI

Marco Saravalle - Analista, CNPI

Bruna Pezzin - Analista, CNPI

Gustavo Cruz - Analista, CNPI